Erros Protestantes


1 — Protestantes: — Todas as verdades reveladas por Deus encontram-se na Bíblia.

O que diz a Bíblia:

“Há muitas outras coisas que Jesus fez e que, se fossem escritas uma por uma, creio que no mundo inteiro não caberiam todos os livros que teriam que ser escritos”. (Jô 21,25)

“Embora tenham muitas coisas a vos escrever, não quis fazê-lo com papel e tinta. Mas quero ir ter convosco e vos falar de viva voz, para que a nossa alegria seja perfeita”. (3jo13)

“Jesus fez, diante de seus discípulos, muitos outros sinais, que não se encontram escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome”.

2 — Protestantes: — Só a Bíblia contém as regras da fé, não a tradição.

O que diz a Bíblia:

Por conseguinte, irmãos ficai firmes: guardai as tradições que vos ensinamos oralmente ou por escrito. (2Ts 2,2)

“O que de mim ouviste na presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para ensiná-los a outro” (2Tm 2,2).

3 — Protestantes: O único magistério é o da Bíblia. Somente nela se pode crer.

O que diz a Bíblia:

“Ele lhes disse de novo: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, também eu vos envio. Dizendo isto, soprou sobre eles e lhes disse: recebei o Espírito Santo”. (Jo 20 20,21)

“… ide, pois, e fazei com que todas as nações se tornem minhas discípulas, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!” (Mt 28, 19-20).

“Quem vos ouve, a mim ouve, quem vos despreza, a mim despreza e também despreza aquele que me enviou”. (Lc 10, 16).

“Mas o Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que vos disse”. (Jô 14,26)

4 — Protestantes: A Bíblia é fácil de se entender, quem a lê está livre de erro.

O que diz a Bíblia:

“Isto mesmo ele (Paulo) faz em todas as suas cartas, ao falar nelas desse assunto. Nelas existem pontos difíceis de se entender, que algumas pessoas ignorantes e sem firmeza deturpam, como fazem com as demais Escrituras, para a própria perdição”. (2Pd 3,16)

“Disse então o Espírito a Filipe: Aproxima-te para bem perto do carro. Filipe acelerou o passo. Ouvindo que lia o profeta Isaías, disse-lhe: Porventura, entendes o que lês? Ele respondeu: Como posso entender se não há quem me explique? E convidou Filipe a subir e sentar-se ao lado dele”. (At 8,29-31)

5 — Protestantes: Jesus não estabeleceu autoridade alguma na sua Igreja; pastores e fiéis são todos iguais.

O que diz a Bíblia:

“Em verdade vos digo: Tudo que ligardes na terra, será ligado no céu; e tudo que desligardes na terra, será desligado no céu”. (Mt 18,18)

“Olhai por vós e por todo rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos estabeleceu bispos para apascentar a Igreja de Deus, que ele adquiriu para si pelo sangue do seu próprio Filho”. (At 20,28)

“Aos presbíteros que estão entre vós, exorto eu, que sou presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que há de ser revelada. Apascentai o rebanho de Deus que vos foi confiado, cuidando dele, não por coação, mas de livre vontade, como Deus quer, nem por torpe ganância, mas por devoção, nem como senhores daqueles que vos couberam por sorte, mas, antes, como modelos de rebanho. Assim, quando aparecer o supremo pastor, recebereis a coroa da glória que não murcha”. (1Pe 5,1-3)

“Nós vos rogamos, irmãos, que tenhais consideração por aqueles que se afadigam no meio de vós, e presidem no Senhor e vos admoestam. Tende para com eles um amor por causa do trabalho que eles executam. Vivei em paz uns com os outros”. (1Ts 5,12-13)

6 — Protestantes: A Igreja Romana no inicio foi a Igreja de Cristo, mas com o passar do tempo vem caindo em erros, abusos e escândalos, demonstrando que ela não é mais a Igreja de Cristo.

O que diz a Bíblia:

“Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus, e o que ligares na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Mt 16, 18-19).

“Se eu tardar, saberás como proceder na casa de Deus vivo: coluna e sustentáculo da verdade”. (1Tm 3,15)

7 — Protestantes: Jesus não constituiu Pedro cabeça da Igreja. Na Igreja não há outra cabeça senão Cristo. Logo não deve haver Papa.

O que diz a Bíblia:

“Depois de comerem, Jesus disse a Pedro: Simão Filho de João, tu me amas mais que estes?

— Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo, respondeu Pedro. Acrescentou Jesus: Apascenta os meus cordeiros. Uma segunda vez lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? — Sim, tu sabes que eu te amo, confirmou Pedro. Repetiu Jesus: Apascenta as minhas ovelhas. Pela terceira vez lhe disse Jesus: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro ficou triste por ter lhe perguntado pela terceira vez: Tu me amas? E lhe respondeu: Senhor, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas”. (Jô 21, 15-17) .

“Simão, Simão, Satanás vos procurou para vos peneirar como trigo, mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça, e tu, uma vez convertido, confirma os irmãos”. (Lc 22 31-32)

8 — Protestantes: Jesus não constituiu bispos para governar a sua Igreja. Jesus não deu aos seus apóstolos o poder de ordenar sacerdotes; portanto, o chamado sacerdócio católico não foi instituído por Cristo.

O que diz a Bíblia:

“Olhai por vós e por todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos constitui bispos, para apascentar a Igreja de Deus, que ele adquiriu para si pelo sangue do seu próprio Filho” (At 20, 28)

“Certo dia, enquanto celebravam o culto do Senhor e jejuavam. Disse o Espírito Santo: Separai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os destinei. Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e despediram-nos. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram eles a Selêucia, e dali navegaram para Chipre” (At 13, 2-4)

“A ninguém imponhas apressadamente as mãos, não participes dos pecados de outrem. A ti mesmo conserva-te puro” (1Tm 5,22)

“Eu te deixei em Creta para cuidares da organização e ao mesmo tempo para que constituas presbíteros em cada cidade, cada qual devendo ser como te prescrevi…”(Tt 1,5)

9 — Protestantes: Qualquer um que esteja cheio do espírito evangélico é verdadeiro sacerdote de Cristo e pode pregar seu Evangelho sem necessidade de passar por cerimônias chamadas “ordenações” nem ser enviado por bispo ou papa.

O que diz a Bíblia:

“Portanto todo sumo sacerdote, tirado do meio dos homens, é constituído em favor dos homens em suas relações com Deus. A função é oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. É capaz de ter compreensão por aqueles que ignoram e erram”. (Hb 5,1-2)

“Mas como poderiam invocar aqueles que não creram? E como poderiam crer aqueles que não ouviram? E como poderiam ouvir sem pregador? E como poderiam pregar se não fossem enviados? Conforme está escrito [Is 57,7]: Quão belos são os pés que anunciam a paz”. (Rm 10, 14-15)

“Portanto, consideram-nos os homens como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus” (1Cor 3,9)

“Alguém está doente? Mande chamar os presbíteros da Igreja, para que orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor”. (Tg 5,14)

10 — Protestantes: Quem crer em Jesus Cristo como salvador se salva, não é necessário fazer boas obras.

O que diz a Bíblia:

“E se possuir o dom da profecia e conhecer todos os mistérios e toda a ciência e alcançar tanta fé que chegue a transportar montanhas, mas, se não tiver caridade, nada sou”. (1Cor 13,2)

“Não são os que ouvem a Lei que são justos perante Deus, mas os que cumprem a Lei é que serão justificados”. (Rm 2,13)

“Meus irmãos, se alguém disser que tem fé, mas não tem obras, que lhe aproveitará isso? Acaso a fé pode salvá-lo? Se o irmão ou a irmã não tiver o que vestir e lhes faltar o necessário para a subsistência de cada dia, e alguém lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos, e não lhes der o necessário para a manutenção, que proveito haverá nisso? Assim também é a fé, se não houver obras, será morta em si mesma. De fato alguém poderá objetar-lhe: Tu tens fé e eu obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a fé pelas obras. Tu crês que há um só Deus? Ótimo! Lembra-te, porém, de que também os demônios crêem, mas estremecem. Queres, porém, ó homem insensato, a prova de que a fé sem obras é vã? Abraão, nosso pai, não foi justificado pelas suas obras quando ofereceu sobre o altar Isaac, seu filho? Já vês que a fé concorreu para as suas obras e pelas obras é que a fé se realizou plenamente. E assim se cumpriu a Escritura que diz que Abraão creu em Deus e isso lhe foi imputado como justiça e ele foi chamado amigo de Deus. Estais vendo que o homem é justificado pelas obras e não simplesmente pela fé. Da mesma maneira também Raab, a meretriz, não foi justificada pelas obras, quando acolheu os mensageiros e os fez voltar por outro caminho? Com efeito, como o corpo sem o sopro da vida está morto, assim também é morta a fé sem obras”. (Tg 2,14-25)

11 — Protestantes: Jesus morreu pela salvação de todos; logo é fazer injuria a Cristo dizer que são necessárias nossas obras para a salvação, como se a redenção não fosse suficiente. A fé em Jesus é que nos merece o Reino do Céu, não as obras.

O que diz a Bíblia:

“O Filho do Homem há de vir na sua glória do seu Pai, com os anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com o seu comportamento”. (Mt 16,27)

“ Aí alguém se aproximou dele e disse: Mestre, que farei de bom para ganhar a vida eterna? Respondeu: Por que perguntas sobre o que é bom? O Bom é um só. Mas, se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. Aquele lhe perguntou: Quais? Jesus respondeu: Estes: Não matarás, não adulterarás, não roubarás, não levantarás falso testemunho; honra pai e mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe então o moço: Tudo isso tenho guardado, que me falta ainda? Jesus respondeu: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me” (Mt 19, 16-21)

12 — Protestantes: Jesus não está realmente na Eucaristia, nem quis ele dar-nos a sua carne e o seu sangue para comermos e bebermos. Isso é um absurdo forjado pela Igreja de Roma. Não há prova alguma na Bíblia de que Jesus haja estabelecido o que os católicos chamam sacrifício da missa, nem que os apóstolos hajam celebrado esta cerimônia.

O que diz a Bíblia:

“Em verdade, em verdade vos digo;aquele que crê, tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão, viverá eternamente. O pão que eu darei, é a minha carne para a vida do mundo. Discutiam entre si os judeus dizendo: Como pode este homem dar-nos a sua carne para comer? Jesus lhes respondeu então: Em verdade , em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberes o seu sangue, não tereis a vida em vós.Quem come a minhas carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. Quem come da minha carne e bebe do meu sangue, permanece em mim e eu nele” (Jô 6,47-56)

“Com efeito, eu mesmo recebi do Senhor o que transmiti: na noite em que ia ser entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é para vós; fazei isso em memória de mim. Do mesmo modo, após a ceia, também tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da Nova Aliança em meu sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de mim”. (1Cor 11,27-29)

“Assim, pois, quem come o pão e bebe do cálice do Senhor indignamente será réu do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice, pois aquele que come e bebe sem discernir o corpo [do Senhor], come a própria condenação” (1Cor 11,27-29)

“O cálice da benção que abençoamos, nãoi é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos, não é o corpo de Cristo? Já que há um único pão, nós, embora muitos, somos um só corpo, visto que todos participamos desse único pão”. (1Cor 10,16)

“Trabalhei não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna na, alimento que o Filho do Homem vos dará, pois Deus, o Pai, o marco com seu selo”. (Jô 6, 27)

“Assim lhes disse: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá forme e o que crer em mim nunca mais terá sede”. (Jô 6, 35)

“Assim como o Pai, que vive, me enviou e eu vivo para o Pai, aquele que comer de mim viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu. Ele não é como o que os pais comeram e pereceram; quem come deste pão viverá para sempre”. (Jô 6, 57-58)

13 — Protestantes: A crença no purgatório não tem fundamentação bíblica.

O que diz a Bíblia:

“Assume logo uma atitude conciliadora com teu adversário, enquanto estas com ele no caminho, para que teu adversário não te entregue ao juiz e o juiz ao oficial de justiça, e assim sejas lançado na prisão. Em verdade te digo: Dali não sairás, enquanto não pagares até o último centavo”. ((Mt 5, 25-26)

“Cada um veja como constrói. Quanto ao fundamento, ninguém pode pôr outro diverso do que foi posto: Jesus Cristo. Se alguém sobre esse fundamento constrói com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, a obra de cada um será posta em evidência. O Dia a tornará conhecida, pois ele se manifestará pelo fogo e o fogo provará o que vale a obra de cada um. Se a obra construída sobre o fundamento subsistir, o operário receberá uma recompensa. Ele mesmo, entretanto, será salvo, mas, como que através do fogo”. (1Cor 3,10-15)

14 — Protestante: Só Deus perdoa os pecados, ele não concedeu aos padres católicos o poder de perdoá-los.

O que diz a Bíblia:

“Dizendo isto, Jesus soprou sobre eles e lhes disse: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados, aqueles aos quais não os perdoardes, ser-lhe-ão retidos”. (Jô 20,22-23).

“Em verdade vos digo: tudo o que ligardes na terra será ligado no céu e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu”. (Mt 18,18).

“Tudo isto vem de Deus, que nos reconciliou consigo por Jesus e nos confiou o ministério da reconciliação”. (2Cor 5,18).

“Muitos dos que receberam a fé, vinham confessar as suas práticas supersticiosas”. (At 19,10)

“Vendo o ocorrido, isto é, perdão dos pecados do paralítico, as multidões…glorificaram a Deus que deu tal poder aos homens”. (Mt 9,8).

15 — Protestantes: Em nenhuma parte da Bíblia se encontra, como ensinamento divino, a lei do celibato no ministério pastoral.

“A propósito das pessoas virgens não tenho preceito do Senhor; mas posso dar conselho, porque obtive do Senhor a misericórdia de ser digno de fé. Creio, pois, que, por causa das angustias do presente, é bom que o homem fique assim. Estás livre de mulher? Não procures mulher. Se te casares, não pecarás, se uma virgem se casa, não peca; mas essas pessoas sofrerão as tribulações da vida matrimonial, que eu quisera poupar-vos”. (1Cor 7,25-28).

“Eu quisera que estivésseis isentos de preocupações. Quem não tem esposa cuida das coisas do Senhor e do modo de agradar ao Senhor. Quem tem esposa, cuida das coisas do mundo e de agradar à esposa, e fica dividido. Da mesma forma, a mulher não casada e a virgem cuidam das coisas do Senhor, a fim de serem santas de corpo e de espírito. Mas a mulher casada cuida das coisas do mundo; procura agradar o marido. Digo-vos isto pelo vosso interesse, não para armar ciladas, mas para que façais o que é mais nobre e possais permanecer junto ao Senhor sem distrações”. (1Cor 7,32-35).

“Digo às pessoas solteiras e às viúvas que é bom ficarem como eu” (1Cor 7,8).

“Jesus lhes disse: Em verdade eu vos digo, não há quem tenha deixado casa, mulher, irmãos, pais e filhos por causa do Reino de Deus, sem que receba muito mais neste tempo e, no mundo futuro, a vida eterna”. (Lc 18,29-30)

“Ele acrescentou: Nem todos são capazes de compreender essas palavras, mas somente aquele a quem é concedido. Há eunucos que nasceram assim, desde o ventre materno. Há eunucos que foram feitos eunucos pelos homens. E há eunucos que se fizeram eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem tiver capacidade para compreender, que compreenda”. (Mt 19,11-12).

16 — Protestantes: O matrimonio não é um sacramento instituído por Jesus.

O que diz a Bíblia:

“Alguns fariseus aproximaram-se dele, querendo pô-lo à prova. Perguntaram-lhe: è lícito repudiar a própria mulher por qualquer motivo que seja? Ele respondeu: Não lestes que desde o principio o Criador os fez homem e mulher? E disse: Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e os dois serão uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto não separe o homem que Deus uniu”. (Mt 19,3-6) ver também (Mc 10,2-12)

“Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou, homem me mulher. Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a”. (Gn 1, 27-28)

“E, vós maridos, amai as vossas mulheres como Cristo amou a sua Igreja e se entregou por ela, … pois ninguém jamais quis mal a própria carne, antes a alimenta e cuida dela, como também fez Cristo com a sua Igreja, … É grande este mistério, refiro-me à relação entre Cristo e sua Igreja”. (Ef 5, 25-29)

17 — Protestantes: É um absurdo teológico ensinar ou crer que Deus tem mãe; logo Maria não pode ser chamada mãe de Deus. O culto que os católicos tributam a Maria, é contrária a Bíblia.

O que diz a Bíblia:

“No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. Entrando onde ela estava, disse-lhe: Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! Ela ficou intrigada com estas palavras, e pôs-se a pensar qual o significado daquela saudação. O anjo acrescentou: Não temas, Maria. Encontras-te graça junto de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e o chamarás com o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará na casa de Jacó para sempre, e o deu reino não terá fim. Maria, porém, disse ao anjo: Como pode acontecer isso, se eu não conheço homem algum? O anjo lhe respondeu: O Espírito Santo virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra; por isso o Santo que nascer será chamado Filho do Altíssimo. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice, e este é o sexto mês [de gestação] para aquela que chamavam de estéril. Para Deus, com efeito, nada é impossível. Disse então Maria: Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo retirou-se”. (Lc 1, 26-38)

“Com grande grito exclamou [Isabel] : Bendita és tu entre as mulheres, bendito é o fruto do teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?”. (Lc 1,1-41).

18 – Protestantes: Deus proibiu terminantemente no decálogo esculpir estátuas ou imagens.

O que diz a Bíblia:

“Farás um propiciatório de ouro puro, 125 cm de comprimento e 75 cm de largura. Farás dois querubins de ouro polido, nas duas extremidades do propiciatório, um de um lado do outro lado, de modo que os querubins estejam nos dois extremos do propiciatório. Os querubins com as asas estendidas por cima estarão encobrindo o propiciatório, um de frente do outro, voltados para o propiciatório. Porás o propiciatório sobre a arca, e dentro da arca o documento da aliança que te darei. Ali me encontrarei contigo, e de cima do propiciatório, no meio dos dois querubins colocados sobre a arca da aliança, eu te comunicarei o que eu ordenar aos israelitas”. (Ex 25, 10-22).

“O Senhor respondeu-lhe: “Esculpi uma serpente venenosa e colocai-a sobre um poste. Quem for mordido por uma víbora e contemplar a serpente esculpida viverá. Moises obedeceu, fez uma serpente de bronze e a colocou sobre um poste; se alguém era mordido por uma víbora, contemplava a serpente de bronze e vivia. (Nm. 21, 8-9)

“ Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem”. (Jô 3, 14).

19 — Protestantes: A invocação aos anjos e santos é contrária à Bíblia, não devemos invocá-los.

O que diz a Bíblia:

“… que o anjo que me salvou de todo mal abençoe estas crianças, nelas sobrevivam o meu nome e o de meus pais, Abraão, Isaac, que elas cresçam e se multipliquem sobre a terra!”. (Gn 48,16).

“Pecamos contra o Senhor e contra ti. Intercede junto ao Senhor para que afaste de nós estas serpentes. Moisés intercedeu em favor do seu povo”. (Nm 21,7)

“Eu vos peço, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo, e pelo amor do Espírito Santo, que luteis comigo nas orações que fazeis por mim a Deus”. (Rm 15, 30)

“… orai uns pelos outros, para que sejais curados. A oração fervorosa do justo tem grande poder. Assim Elias, que era um homem semelhante a nós, orou com insistência para que não chovesse, e não choveu na terra durante três anos e seis meses. Em seguida tornou a orar e o céu enviuo sua chuva e a terra voltou a produzir fruto”. (Tg 5,16-18)

20 — Protestantes: Os santos do céu nada sabem sobre nós; por conseguinte, ignoram os nossos pedidos; é inútil invocá-los.

O que diz a Bíblia:

“Com orações e súplicas de toda sorte, orai por todo tempo, no Espírito, e para isso vigiai com absoluta perseverança e súplicas por todos os santos”. (Ef 6,18)

Ao receber o livro, os quatro Seres vivos e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada qual com uma cítara e taças de ouro cheias de incenso, que são orações dos santos, …” (Ef 6,18)

“Moises, porém, suplicou ao Senhor, seu Deus, e disse: Por que , ó Senhor, se acende a tua ira contra o teu povo, que fizeste sair do Egito com grande poder e mão forte? — O Senhor, então, desistiu de aplicar o castigo com o qual havia ameaçado o povo”. (Ex 32, 11-14).

“No dia seguinte, Moisés disse ao seu povo: Vós cometestes um pecado grave. Todavia, eu vou subir ao Senhor; talvez consiga expiar o vosso pecado.”(Ex 32,30)

“Os filhos de Israel tiveram medo dos filisteus. Não cesses de invocar o Senhor nosso Deus, para que ele nos livre das mãos dos filisteus”. (1Sm 7,7-8).

“Irmãos, eu vos peço, por nosso Senhor Jesus Cristo, que luteis comigo nas orações que fazeis por mim.” (Rm 15,30).

“Orai por nós, irmãos”. (1Ts 5,25)

“ não desprezeis nenhum desses pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos no céu vêem continuamente a face do meu Pai que está nos céus”. (Mt 18,10).

“Orai por nós, porque estamos convencidos de que possuímos uma boa consciência, e com a vontade de viver bem em tudo”. (Hb 13,18).

21 — Protestantes: Não temos garantia de que os anjos e santos no céu pedem por nós, ignorância invocá-los para que intercedam por nós.

O que diz a Bíblia:

“Então falou o anjo do Senhor dos exércitos: Até quando demorarás ainda a ter piedade de Jerusalém e das cidades de Judá, contra as quais estás irado há setenta anos”. (Zc 1,12)

“Ao receber o livro, os vinte quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada um com uma cítara e taças cheias de incenso, que são as orações dos santos, …” (Ap 5,8)

Remate: — Os protestantes, nas suas centenas de denominações, não aceitam a Igreja Católica como a única verdadeira, isto é, que ela não ensina a verdade: evidente. Os protestantes afirmam que base da sua fé se encontra a na Bíblia. Ora, se as Igrejas protestantes não dão credibilidade a Igreja Católica, por que então aceitam a Bíblia com fundamento da sua fé? Durante mil e quintos anos, quem preservou a Bíblia e de modo especial o Novo Testamento — porque os judeus preservaram o Velho Testamento — foi tão somente a Igreja Católica Apostólica Romana até a invenção da imprensa por Guttemberg. A Igreja Católica confiou aos monges beneditinos as cópias manuscritas das páginas da Bíblia durante séculos. A Igreja Católica se não fosse verdadeira, merecedora de confiança, poderia muito bem ter manipulado a Bíblia de acordo com o seu interesse, principalmente o Novo Testamento. Foi a Igreja Católica, iluminada pelo Espírito Santo, que separou nos primeiros séculos os Evangelhos autênticos dos apócrifos. Martinho Lutero, ex-frade agostiniano, o primeiro a se rebelar contra a Igreja Católica, uso da Bíblia Católica para fundamentar a sua reforma protestante. Se a Igreja Católica não merece credibilidade, então por coerência, a Bíblia que todos nós conhecemos também não merece.

Jesus disse: “E eu te digo: tu és Pedro e sobre está pedra construirei a minha Igreja…”. Ele falou a minha Igreja e não as minhas Igrejas.

“Há um só Senhor, uma só Fé, um só Batismo”. (Ef 4,5)

Enviado por: José Carlos de Castro Rios — São Paulo — SP.

Anúncios

17 Respostas to “Erros Protestantes”

  1. Giovanna Says:

    Muito interessante esse texto, com certeza influenciará bastante em minha vida, principalmente por tirar dúvidas sobre a igreja Católica, que frequento e pratico!

  2. AMIGO Says:

    Primeiro aprenda ler a Bíblia, para depois você poder interpretar, o que você acaba de descrever a acima são heresias terriveis, e se você soubesse ao menos ler no contexto e aplicar as palavras ao contexto da época você iria enxergar o quanto foi grande as besteiras que você escreveu.

    Olhar Católico: “Se falei mal, prova-o, mas se falei bem, por que me bates?(” Jo18, 23). Prove então.

    segundo, teologia não se aprende no vaticano e tão pouco em universidades, desperte a curiosidade que existe em vossa pessoa e vai busca no contexto historico as resposta que irão anular todas esse tolicies que ousastes a escrever.

    Olhar Católico: então Teologia se aprende em aula de História? Meio incoerente isto.

    terceiro faço-te um desafio, como tú blasfemaste do meu Deus igual fizeste acima, o Deus que eu creio responde com fogo, então acredito que se tú não se arrepender dos seus maus caminhos e não aceitar Jesus como seu unico e exclusivo salvador virá sobre ti a cobrança que veio sobre os profetas de baal nos dias do profeta Elias.

    Olhar Católico: “Se falei mal, prova-o, mas se falei bem, por que me bates?” (Jo18, 23). Prove onde blasfemei, aliás, você sabe o que é blasfêmia? Blasfêmia é o uso pejorativo do nome de Deus, de Nosso Senhor, de Nossa Senhora ou dos Santos e Anjos. Exemplo de blasfêmia é amaldiçoar o nome de Deus, (coisa que, felizmente, nossa língua portuguesa, diferentemente de outras, praticamente desconhece), contar piadas indecentes com Deus ou os Santos, imprecar contra a Divina Providência, etc., entendeu?“

    agora eu te faço uma pergunta onde está o seu Deus Aparecida entre outros que é incapaz de se mover do lugar e tão pouco ouvir pois é tão morto e falho que o chute do bispo da universal nela nem sequer arrancou lagrimas. ah é as imagens de vocês choram tambem não é?

    Olhar Católico: nota-se pela sua escrita que você é semelhante ao seu pastor, já o Deus da Nossa Senhora de Aparecida, o Bom Pastor, Ele é um “Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em fidelidade” (Ex34, 6). O que é do seu pastor está guardado…

    O MEU DEUS ELE URGE COMO LEÃO E ELE TEM TODO PODER E RESPONDE COM FOGO A QUEM BLASFEMA CONTRA O SEU ESPIRITO SANTO, TENHA TOTAL CERTEZA QUE O MEU DEUS É O DEUS VIVO QUE NO TERCEIRO DIA RESSUCITOU DENTRE OS MORTOS E HOJE É ESTÁ NO MEU CORAÇÃO E ESTÁ MUITO VIVO.

    Olhar Católico: há é… estrambólico esse seu deus… o Verdadeiro é “manso e humilde de coração” (Mt11, 29).

    QUARTO VC TERIA CORAGEM DE MORRER PELAS SUAS IMAGENS, TERIA CORAGEM DE MORRE PELA SUA SENHORA DE APARECIDA QUE NÃO TEM FUNDAMENTO ALGUM DE EXISTENCIA? TE FAÇO ESSA PERGUNTA MORRERIA PARA DEFENDER SEU PAPA BENTO ALGUMA COISA ?

    Olhar Católico: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos” (Mt15, 13).

    Nos protestantes ou crentes ou evangelicos morremos e damos a nossa vida crendo que Jesus é o unico e exclusivo salvador e damos a nossa vida por ele, pois esse foi o exemplo deixado por ele.
    ORA MEU AMIGO TE FAÇO O CONVITE DE ACEITAR AQUELE QUE É DEUS FORTE, PRINCIPE DA PAZ, PAI DA ETERNIDADE, CONSELHEIRO E MISERICORDIOSO E ASSIM ELE IRÁ TE MOSTRAR A VERDADE E SEUS OLHOS IRÁ ENXERGAR AQUILO QUE É REAL E VERDADEIRO.
    Quinto, saiba que o meu Deus tambem pode ser o teu Deus nessa hora, basta inclinar a sua cabeça e repetir com todo o seu coração ” eu, (seu nome)aceito Jesus como unico e exclusivo salvador da minha vida e me arrependo de todos os meus pecados e quero te servir o Eterno.amem.”

    Olhar Católico: Recomendo-lhe que não repita slogans vazios, como esse de “aceitar a Jesus”, que muita gente repete, hoje, mesmo vivendo, muitas vezes, em pecado. É fácil dizer que se “aceitou Jesus”. Difícil é aceitar a sua lei. Evangélico é aquele que busca viver segundo o Evangelho, o protestantismo não o faz, pelo contrário, protesta contra ele.

    Releia o post que você insere este seu comentário. Não com sentimento de ódio ou orgulho, mas com o coração aberto para a Verdade, então verás que estais no erro. Repito, sem ódio, mas abertura à Verdade.
    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  3. Patrick Robson Says:

    Tenha piedade Senhor da ignorância deste dito “Amigo”, que as trevas de sua inteligência sejam iluminadas por tua verdade, que a “ignorância invencível”, ponte da tua misericórdia para com os lentos, possa ser superada pela humildade sincera daqueles que deixam de lado os apegos da vida, e se abrem àquele que se revelou ao homem, deixando-lhes como pilar de integridade e combate da fé legítima, sua Santa Católica e Apostólica Igreja.

    Patrick Saldanha
    Capela Nossa Senhora da Assunção.
    Fortaleza-Ce.

  4. Francisco Junior Says:

    Purgatório?????Como sair dele???

    A igreja Católica prega a existência de um lugar chamado purgatório.Seria o destino das almas de todos os que partem dessa vida.Ali purgariam as manchas ou pecados veniais que lhes ficassem como requísios da vida terrena, a fim de terem direito ao Céu.Voces acreditam que as orações de parentes e amigos, tanto quanto as missas, podem lhes aliviar o castigo.AS almas do purgatório padeceriam um tormento muito semelhante ao inferno.A única diferença entre eles é o fato de que deste a saída seria impossível, embora não se defina quando ocorre a saída do purgatório.(Concílo de Florença 1439).Em toda a Bíblia não há qualquer indicio de um lugar chamado purgatório.O texto sagrado menciona dois lugares: o inferno e o Céu.O sangue de Cristo é o único meio para limpar nossos pecados.

    “Sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3.24

    “Se, porém andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros , eo sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de TODO pecado.” 1 João 1.7

    Se o sangue de Jesus nos purifica de TODO o pecado, com certeza não sobra pecado para o purgatório ou para outra coisa.
    Se existisse o purgatório tornaria o sacrificio de Cristo insuficiente.
    Fica difício acretidar em uma instituição como esta após a SANTA INQUISIÇÃO ….

    Olhar Católico

    Prezado Francisco Junior, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Salvador (Lc1, 43)
    Sobre o Purgatório:

    Deus é justiça e cria justiça. Tal é a nossa consolação e a nossa esperança. Mas, na sua justiça, Ele é conjuntamente também graça. Isto podemos sabê-lo fixando o olhar em Cristo crucificado e ressuscitado. Ambas – justiça e graça – devem ser vistas na sua justa ligação interior. A graça não exclui a justiça. Não muda a injustiça em direito. Não é uma esponja que apaga tudo, de modo que tudo quanto se fez na terra termine por ter o mesmo valor. Contra um céu e uma graça deste tipo protestou com razão, por exemplo, Dostoëvskij no seu romance « Os irmãos Karamazov ». No fim, no banquete, eterno, não se sentarão à mesa indistintamente os malvados junto com as vítimas, como se nada tivesse acontecido. Aqui gostaria de citar um texto de Platão que exprime um pressentimento do justo juízo que, em boa parte, permanece verdadeiro e salutar também para o cristão. Embora com imagens mitológicas mas que apresentam com uma evidência inequívoca a verdade, ele diz que, no fim, as almas estarão nuas diante do juíz. Agora já não importa o que eram outrora na história, mas só aquilo que são de verdade. « Agora [o juiz] tem diante de si talvez a alma de um […] rei ou dominador, e nada vê de são nela.
    Encontra-a flagelada e cheia de cicatrizes resultantes de perjúrio e injustiça […] e está tudo torto, cheio de mentira e orgulho, e nada está direito, porque ela cresceu sem verdade. E ele vê como a alma, por causa do arbítrio, exagero, arrogância e leviandade no agir, se encheu de emproamento e infâmia. Diante de um tal espectáculo, ele envia-a imediatamente para a prisão, onde padecerá os castigos merecidos […]. Às vezes, porém, ele vê diante de si uma alma diferente, uma alma que levou uma vida piedosa e sincera […], compraz-se com ela e manda-a sem dúvida para as ilhas dos bem-aventurados ». Jesus, na parábola do rico epulão e do pobre Lázaro (cf. Lc 16,19-31), apresentou, para nossa advertência, a imagem de uma tal alma devastada pela arrogância e opulência, que criou, ela mesma, um fosso intransponível entre si e o pobre: o fosso do encerramento dentro dos prazeres materiais; o fosso do esquecimento do outro, da incapacidade de amar, que se transforma agora numa sede ardente e já irremediável. Devemos aqui destacar que Jesus, nesta parábola, não fala do destino definitivo depois do Juízo universal, mas retoma a concepção do judaísmo antigo de uma condição intermédia entre morte e ressurreição, um estado em que falta ainda a última sentença.
    Esta ideia do judaísmo antigo da condição intermédia inclui a opinião de que as almas não se encontram simplesmente numa espécie de custódia provisória, mas já padecem um castigo, como demonstra a parábola do rico epulão, ou, ao contrário, gozam já de formas provisórias de bem-aventurança. E, por último, não falta a noção de que, neste estado, sejam possíveis também purificações e curas, que tornam a alma madura para a comunhão com Deus. A Igreja primitiva assumiu tais ideias, a partir das quais, se desenvolveu aos poucos na Igreja ocidental a doutrina do purgatório. Não há necessidade de examinar aqui as complicadas vias históricas desta evolução; perguntemo-nos apenas de que se trata realmente. Com a morte, a opção de vida feita pelo homem torna-se definitiva; esta sua vida está diante do Juiz. A sua opção, que tomou forma ao longo de toda a vida, pode ter caracteres diversos. Pode haver pessoas que destruíram totalmente em si próprias o desejo da verdade e a disponibilidade para o amor; pessoas nas quais tudo se tornou mentira; pessoas que viveram para o ódio e espezinharam o amor em si mesmas. Trata-se de uma perspectiva terrível, mas algumas figuras da nossa mesma história deixam entrever, de forma assustadora, perfis deste género. Em tais indivíduos, não haveria nada de remediável e a destruição do bem seria irrevogável: é já isto que se indica com a palavra inferno. Por outro lado, podem existir pessoas puríssimas, que se deixaram penetrar inteiramente por Deus e, consequentemente, estão totalmente abertas ao próximo – pessoas em quem a comunhão com Deus orienta desde já todo o seu ser e cuja chegada a Deus apenas leva a cumprimento aquilo que já são.
    Mas, segundo a nossa experiência, nem um nem outro são o caso normal da existência humana. Na maioria dos homens – como podemos supor – perdura no mais profundo da sua essência uma derradeira abertura interior para a verdade, para o amor, para Deus. Nas opções concretas da vida, porém, aquela é sepultada sob repetidos compromissos com o mal: muita sujeira cobre a pureza, da qual, contudo, permanece a sede e que, apesar de tudo, ressurge sempre de toda a abjecção e continua presente na alma. O que acontece a tais indivíduos quando comparecem diante do Juiz? Será que todas as coisas imundas que acumularam na sua vida se tornarão de repente irrelevantes? Ou acontecerá algo de diverso? São Paulo, na Primeira Carta aos Coríntios, dá-nos uma ideia da distinta repercussão do juízo de Deus sobre o
    homem, conforme as suas condições. Fá-lo com imagens que, de alguma forma, querem exprimir o invisível, mas sem as podermos transformar em conceitos, pelo simples motivo de que não nos é possível entrever o mundo além da morte nem possuímos qualquer experiência dele. Acerca da existência cristã, Paulo afirma antes de mais que está construída sobre um fundamento comum: Jesus Cristo. Este fundamento resiste. Se nele permanecermos firmes e sobre ele construirmos a nossa vida, sabemos que este fundamento não nos pode ser tirado, nem mesmo na morte. E Paulo continua: « Se alguém edifica sobre este fundamento com ouro, prata, pedras preciosas, madeiras, feno ou palha, a obra de cada um ficará patente, pois o dia do Senhor a fará conhecer. Pelo fogo será revelada, e o fogo provará o que vale a obra de cada um. Se a obra construída subsistir, o construtor receberá a paga. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá a perda. Ele,
    porém, será salvo, como que através do fogo » (3,12-15). Seja como for, neste texto torna-se evidente que a salvação dos homens pode acontecer sob distintas formas: algumas coisas edificadas podem queimar completamente; para alcançar a salvação, é preciso atravessar pessoalmente o « fogo » para se tornar definitivamente capaz de Deus e poder sentar-se à mesa do banquete nupcial eterno.
    Alguns teólogos recentes são de parecer que o fogo que simultaneamente queima e salva é o próprio Cristo, o Juiz e Salvador. O encontro com Ele é o acto decisivo do Juízo. Ante o seu olhar, funde-se toda a falsidade. É o encontro com Ele que, queimando-nos, nos transforma e liberta para nos tornar verdadeiramente nós mesmos. As coisas edificadas durante a vida podem então revelar-se palha seca, pura fanfarronice e desmoronar-se. Porém, na dor deste encontro, em que o impuro e o nocivo do nosso ser se tornam evidentes, está a salvação. O seu olhar, o toque do seu coração cura-nos através de uma transformação certamente dolorosa « como pelo fogo ». Contudo, é uma dor feliz, em que o poder santo do seu amor nos penetra como chama, consentindo-nos no final sermos totalmente nós mesmos e, por isso
    mesmo totalmente de Deus. Deste modo, torna-se evidente também a compenetração entre justiça e graça:
    o nosso modo de viver não é irrelevante, mas a nossa sujeira não nos mancha para sempre, se ao menos continuámos inclinados para Cristo, para a verdade e para o amor. No fim de contas, esta sujeira já foi queimada na Paixão de Cristo. No momento do Juízo, experimentamos e acolhemos este prevalecer do seu amor sobre todo o mal no mundo e em nós. A dor do amor torna-se a nossa salvação e a nossa alegria. É claro que a « duração » deste queimar que transforma não a podemos calcular com as medidas de cronometragem deste mundo. O « momento » transformador deste encontro escapa à cronometragem terrena: é tempo do coração, tempo da « passagem » à comunhão com Deus no Corpo de Cristo.[39] O
    Juízo de Deus é esperança quer porque é justiça, quer porque é graça. Se fosse somente graça que torna irrelevante tudo o que é terreno, Deus ficar-nos-ia devedor da resposta à pergunta acerca da justiça – pergunta que se nos apresenta decisiva diante da história e do mesmo Deus. E, se fosse pura justiça, o Juízo em definitivo poderia ser para todos nós só motivo de temor. A encarnação de Deus em Cristo uniu de tal modo um à outra, o juízo à graça, que a justiça ficou estabelecida com firmeza: todos nós cuidamos da nossa salvação « com temor e tremor » (Fil 2,12). Apesar de tudo, a graça permite-nos a todos nós esperar e caminhar cheios de confiança ao encontro do Juiz que conhecemos como nosso « advogado », parakletos (cf. 1 Jo 2,1).
    Há ainda um motivo que deve ser mencionado aqui, porque é importante para a prática da esperança cristã. No antigo judaísmo, existe também a ideia de que se possa ajudar, através da oração, os defuntos no seu estado intermédio (cf. por exemplo, 2Mac 12,38-45: obra do I século a.C.). A prática correspondente foi adoptada pelos cristãos com grande naturalidade e é comum à Igreja oriental e ocidental. O Oriente não conhece um sofrimento purificador e expiatório das almas no « além », mas conhece diversos graus de bem-aventurança ou também de sofrimento na condição intermédia. Às almas dos defuntos, porém, pode ser dado « alívio e refrigério » mediante a Eucaristia, a oração e a esmola. O facto de que o amor possa chegar até ao além, que seja possível um mútuo dar e receber, permanecendo ligados uns aos outros por vínculos de afecto para além das fronteiras da morte, constituiu uma convicção fundamental do cristianismo através de todos os séculos e ainda hoje permanece uma experiência reconfortante. Quem não sentiria a necessidade de fazer chegar aos seus entes queridos, que já partiram para o além, um sinal de bondade, de gratidão ou mesmo de pedido de perdão? Aqui levantar-se-ia uma nova questão: se o « purgatório » consiste simplesmente em ser purificados pelo fogo no encontro com o Senhor, Juiz e Salvador, como pode então intervir uma terceira pessoa ainda que particularmente ligada à outra? Ao fazermos esta pergunta, deveremos dar-nos conta de que nenhum homem é uma mônada fechada em si mesma. As nossas vidas estão em profunda comunhão entre si; através de numerosas interacções, estão concatenadas uma com a outra. Ninguém vive só. Ninguém peca sozinho. Ninguém se salva sozinho. Continuamente entra na minha existência a vida dos outros: naquilo que penso, digo, faço e realizo. E, vice-versa, a minha vida entra na dos outros: tanto para o mal como para o bem. Deste modo, a minha intercessão pelo outro não é de forma alguma uma coisa que lhe é estranha, uma coisa exterior, nem mesmo após a morte. Na trama do ser, o
    meu agradecimento a ele, a minha oração por ele pode significar uma pequena etapa da sua purificação. E, para isso, não é preciso converter o tempo terreno no tempo de Deus: na comunhão das almas fica superado o simples tempo terreno. Nunca é tarde demais para tocar o coração do outro, nem é jamais inútil.
    Assim se esclarece melhor um elemento importante do conceito cristão de esperança. A nossa esperança é sempre essencialmente também esperança para os outros; só assim é verdadeiramente esperança também para mim. Como cristãos, não basta perguntarmo-nos: como posso salvar-me a mim mesmo? Deveremos antes perguntar-nos: o que posso fazer a fim de que os outros sejam salvos e nasça também para eles a estrela da esperança? Então terei feito também o máximo pela minha salvação pessoal.”
    (Papa Bento XVI, Spe Salvi, 44-48).

    Já sobre a Santa Inquisição, se você se acha tão conhecedor, clique neste link e veja se você conhece realmente todo a Hitória (ou será estória?):

    A Inquisição Protestante

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  5. Francisco Junior Says:

    Caros irmãos.
    Mateus 16.18
    “Também eu te digo que tú és Pedro, e sobre ESTA pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevaleceram contra ela”.

    tu és Pedro. O nome Pedro ( no grego,PETROS)significa pedra ou homem-pedra.Na frase seguinte, Cristo usou PETRA (“SOBRE ESTA ROCHA”), uma forma feminina da palavra “pedra”, que não era um nome PRÒPRIO.Cristo não disse “sobre ti, Pedro” ou “sobre os teus sucessores”, mas sobre esta rocha”- sobre a revelação divina e esta profissão de fé em Cristo. Mateus 16.16

    Vamos interpretar o texto corretamente , pois sabemos que TU é a segunda pessoa no discurso gramatiacal.Então quando Cristo diz : “sobre ESTA ele estava fando dele mesmo. Vamos recapitular o portugues um pouco:

    Pronomes demonstrativos
    Os ponomes demonstrativos os que indicam o lugar em que uma pessoa ou coisa se encontra.São os seguintes pronomes demonstrativos:

    PRIMEIRA PESSOA: este ESTA estes isto
    SEGUNDA PESSOA: esse essa esses isso

    Concluimos que Cristo estava falando de sí próprio e não de Pedro…..Vamos parar de mentiras para manusear a fé de pessoas que infelizmente não puderam estudar…Vamos falar a verdade caros irmãos católicos ….
    DEUS ABENÇOE..

    Olhar Católico

    Prezado Francisco Junior, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Senhor (Lc1, 43)
    Sua “interpretação” é simplória e desavisada…
    Por favor, leia o seguinte artigo que copiei para o Olhar Católico:

    Pedro, Mordomo Real do Rei Jesus

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  6. Martinluter Says:

    Quero como protestante que sou desde já fazer um pedido desculpa pelas palavras de ódio do nosso “amigo”,pois sem que com esse tipo de ignorancia ñ chegaremos a lugar nenhum.
    Porem que apenas fazer uma observação quanto ao comentario sobre termo “protestante”, tal termo so é por nos utilizado por causa do seu peso historico.Quando digo que sou um protestante, quero apenas dizer que vou contra os erros cometidos contra a palavra do Senhor.
    Por mais que eu fale, tentando convencelos de algo nada eu conseguirei pois quem convence é o Espirito. Todos nós temos acessoa biblia, e é ela quem nos guia no caminho da justiça, e ela quem nos mostra o Deus verdadeiro e muiot mais…
    que Deus os abençoe!!!!!

    Olhar Católico

    Prezado Vinnycius, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Senhor (Lc1, 43).
    O termo protestante não é apenas histórico, senão essência dos que seguem a Lutero.
    Hoje em dia esse nome pesa, e em substituição usam o vago “evangélico”, mas creio eu até o momento não existir a religião evangelismo (o que não é impossível de surgir, com todo mundo interpretando a Bíblia como bem entende).
    Aliás, se quer existe “O” protestantismo, pois cada protestante é membro único de sua própria seita que nasce de seu “Livre Exame”, achando estar inspirado pelo Espírito Santo. Acaso é lógico e racional ao Espírito Santo fundar tantas seitas e igrejolas com tantos pensamentos contraditórios? Sendo o Epírito Santo Perfeito, pode Ele se contradizeder? A resposta é NÃO, por tanto, o espírito que auxilia muitos protestantes ao ler a Bíblia, não é o SANTO.
    Que o Espírito Santo o convença de que ” “Eles [os operários, que fazem trabalhos com as mãos] não se assentarão na cadeira do juiz, e não entenderão as leis da justiça; não ensinarão as regras da moral nem do direito, e não se acharão ocupados na inteligência das parábolas” (Sir. XXXVIII, 38).”

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  7. Francisco Junior Says:

    Caros Irmãos:
    As imagens que Deus mandou confeccionar não passavam de símbolos decorativos e representativos
    Em Êxodo 25.17-22, Deus está permitindo a adoração de imagens?
    “Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório” (Êx 25.18).
    Segundo os apologistas do catolicismo romano, o texto em referência comprova a liberação para a adoração de imagens(21). Dizem que se Deus ordenou que se fizessem esculturas de querubins, logo, isso significaria que eles podem e devem ser adorados. (22) Perguntam: “Por que Deus mandaria construir aquelas imagens se não fosse com o objetivo de serem adoradas?”.(23)

    Patrick (Olhar Católico):
    21 – Nunca usamos este texto para justificar a adoração das imagens. Adorar imagens é errado.
    22 – De forma alguma. Sua interpretação dos fatos é completamente divergente daquilo que é ensinado na Igreja Católica.
    23 – Quem fez esta pergunta esquivoca-se. Não fala em nome da Igreja.

    Um dos mais importantes conselhos que a hermenêutica nos confere, a fim de nos auxiliar na correta interpretação textual, é que nunca devemos interpretar um texto sem observar seu contexto. (24) No caso em questão, como Deus poderia permitir a adoração de imagens, considerando que em todo o contexto bíblico Ele a proíbe? (Êx 20.23; 34.17; Dt 9.12; Hc 2.18; 1Jo 5.21, etc). Ou Deus está se contradizendo ou o catolicismo romano está vendo no texto bíblico algo que não existe (eixegese). (25) Logicamente, Deus não se contradiz, pois sua natureza é divina e o Senhor não é como o ser humano (Nm 23.19; Is 45.12; Os 11.9). Resta-nos, então, a segunda alternativa.

    Patrick (Olhar Católico):
    24 – No dia que você colocar em prática este conselho sobre a hermenêutica, observando o contexto para entender o fato, sinta-se bem vindo à Igreja Católica.
    25 – Como Deus não pode se contradizer, pois deixaria de ser Deus, e como a Igreja Católica nunca afirma o que você atribui à ela como doutrina (a justificação da adoração da imagens)… ou Deus e a Igreja Católica estão certos e você errado, ou vice-versa.

    É importante entender que não há nenhuma oposição bíblica quanto a alguém possuir em casa uma escultura, uma obra de arte, e utilizá-la para fins decorativos. Ou, ainda, quanto a alguém carregar consigo a foto de um parente. Absolutamente. Mas daí a venerar ou adorar tais objetos há uma distância abissal e constitui idolatria, o que é terminantemente proibido por Deus (Êx 20.4,5).(26)

    Patrick (Olhar Católico):
    26 – A serpente de bronze tinha por acaso a utilidade de uma “foto” ou um objeto decorativo?

    Algumas imagens que Deus mandou confeccionar não tinham por objetivo elevar a piedade de Israel e tampouco serviam de modelo para reflexão ou conduta. Eram apenas símbolos decorativos e representativos. Deus mandou fazer a Arca da Aliança; mandou confeccionar figuras de querubins no Tabernáculo e no Templo (Êx 25.10-16; 1Rs 6.23-29), além de outros ornamentos (1Rs 7.15-50). Essas figuras, porém, jamais foram adoradas ou veneradas, ou vistas como objetos de devoção ou adoração. Se os filhos de Israel tivessem adorado, cultuado ou venerado esses objetos, Deus, sem sombra de dúvida, teria mandado destruí-los, como aconteceu com a serpente de bronze (2Rs 18.4).(27)

    Patrick (Olhar Católico):
    27 – Nm 21,9. “Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida.”
    Não parece um ato de piedade?
    Ex 30,36 “Depois de tê-lo reduzido a pó, pô-lo-ás diante da arca da aliança na tenda de reunião, lá onde virei ter contigo. Essa será para vós uma coisa santíssima”.
    A mesma coisa que uma foto !?

    Nota: Sua interpretação é completamente sem fundamento, pois você combate uma idéia que seu oponente não defende. É o mesmo que tentar convencer um Mulçumano que Buda é uma farça! Ou seja, sem sentido algum.

    Vcs catolicos sempre tentam dar um jeitinho, na história como no caso da inquisição. Classifica-la com estória é um insulto a humanidade. Como é caracteristico de vcs tem um tal Bispo que esta negando até o Holocalsto vai ver foi uma estória tambem…. rsrss (28)

    Patrick (Olhar Católico):
    28 – Quer discutir história? Quer sair do campo da doutrina e partir para a avaliação da “santidade” dos nossos fundadores e de nossa história? Faça isso, e verá o quão ignorante é sobre estes assuntos. Faça isso, e verá desmoralizado seu tão estimado Martinho Lutero. Faça isso, e verá a glória da Igreja Católica durante estes 2000 anos. Enfim, faça isso, e sinta o peso da verdade eterna que irá levá-lo certamente a dois possíveis lugares: a conversão ou à condenação. Conversão, pela força natural da verdade. Condenação, pois caso ainda assim não se converta, já não terá o argumento da “ignorância invencível” para garantir-lhe um lugar na glória.

    Paz e graça do Único Caminho, como Ele mesmo disse. Não preciso de intermediários… e não a obra do Senhor Jesus seria insuficiente … (29)

    Patrick (Olhar Católico):
    29 – Ensino oficial da Igreja Católica:
    “Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, homem” (1Tm 2,5)
    Contudo, ou os protestantes entendem que a Igreja Católica é coerente, ou deverão rasgar de suas bíblias, já tão mutiladas, alguns outros trexos:

    “Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens” (I Tm 2,1)
    Ai o protestante diz: “Nossa! São Paulo ensina que os homens podem fazer súplicas por outros homens!!?? Heresia!! rasguemos este versículo!!!”
    Abraão, Moisés, Davi, os profetas e os sacerdotes levíticos claramente exerceram seu papel como mediadores. No Novo Testamento Jesus formou os seus apóstolos e os concedeu o papel de mediadores. Ele deu-os instruções para evangelizar e batizar (cf. Mt 28,18-20), perdoar pecados (Jo 20,23) e de celebrar a Eucaristia (1Cor 11,23-25) todas essas são funções de mediadores. Paulo termina sua carta a Timótio conectando a única mediação de Cristo com o seu próprio apostolado, que também era uma missão de mediação subordinada:
    “E deste fato – digo a verdade, não minto – fui constituído pregador, apóstolo e doutor dos gentios, na fé e na verdade” (1Tm 2,7)

  8. Francisco Junior Says:

    IDOLATRIA DISFARÇADA.

    Os católicos sempre encontraram uma maneira de se livrar da acusação de serem idólatras. Quando pressionados com textos bíblicos sobre seu modo de culto prestado a Deus, aos santos, às imagens, às relíquias, à eucaristia e à Maria, prontamente respondem que não levamos em conta a cuidadosa distinção de culto feita pela Igreja Católica para não incorrer neste pecado.
    Os eruditos católicos precisam fazer esta distinção (1), pois, sem ela, não poderiam escudar-se quando pressionados com a acusação de idolatria. Com esta nuança de palavras, sentem-se livres para prosseguir com seus sofismas teológicos (2). Diante das severas advertências bíblicas, foi necessário fabricar-se uma tríplice distinção entre o que eles classificam “latria”, que seria o grau mais alto de adoração, “hiperdulia”, um grau abaixo daquele (tido como veneração a Maria) e superior à “dulia”, também veneração, mas prestada aos santos e aos objetos relacionados a tais santos, como, por exemplo, as imagens.(3)

    Patrick(OLhar Católico)
    1 – Todos os católicos precisam fazer esta distinção.
    2 – Acusação gratuita. Ataque sentimental.
    3 – O oponente critica o fato de termos explicações para seu ataque !???

    Os católicos dizem que prestam unicamente o culto de “latria” a Deus e o culto de “dulia” aos santos, sem incorrerem no risco de confundi-los. Contudo, esta “cuidadosa” diferença desaparece na prática (4). Vejamos, mais à frente, como ela tende a se confundir no desenrolar do culto que o devoto católico presta.(5)

    Patrick(OLhar Católico)
    4 – Qualquer católico sabe bem a diferença entre a adoração à Deus, que é a mesma prestada à EUCARISTIA e a prestada aos santos (imagens).
    5 – Veremos!

    O papa Gregório estava errado quando disse que “as imagens são os livros dos ignorantes”. A bem da verdade, as imagens são mais eficazes para cegar os olhos espirituais destas pessoas e, conseqüentemente, deixá-las mais ignorantes ainda, do que para tirá-las desta condição.(6)

    Patrick(OLhar Católico)
    6 – Acusação gratuita. Opinião pessoal sem argumentação.

    Quando a imagem de algum “santo” cai no chão e quebra, o devoto não diz apenas que a imagem se quebrou, mas afirma ter quebrado o próprio santo, seja ele Antônio, Benedito, Jorge, José, entre outros, repetindo assim o episódio de Labão, que acusou Jacó de roubar não só suas imagens, mas seus “deuses” (Gn 31.30).(7)

    Patrick(OLhar Católico)
    7 – Eu sou católico e digo que a “imagem” quebrou e não o Santo. E ai?
    Afinal, a alma daquele santo, que está no céu, não “morreu” porque eu quebrei a imagem!

    Imagine um católico fazendo a oração que segue, curta e fervorosa, diante do quadro da sagrada família — Jesus, Maria e José.
    Meu Jesus, misericórdia.
    Doce coração de Maria, sede a minha salvação.(8)
    Jesus, Maria, José eu vos dou meu coração e minha alma.(8)
    Jesus, Maria, José assisti-me na última agonia.
    Jesus, Maria, José, expire a minha alma entre vós em paz.
    Amém.

    Patrick(OLhar Católico)
    8 – Quando um protestante vai ao médico e este lhe receita remédios e práticas que o paciente deve evitar, é certo ou errado dizer que “o médico curou?” ou que “os remédios curaram?” ou que “a receita curou?”
    Quando alguém escuta uma pregação do seu pastor e “se converte”, quem foi que converteu este neófito? O pastor? ou foi uma graça de Deus?
    É absolutamente a mesma coisa. Alguém segue o exemplo de um santo, recorre à sua intercessão para obter alguma graça junto a Jesus, e quando morre vai para o Céu… Pergunto, quem foi que salvou esta alma?
    É óbvio que nenhuma alma poderia ir para o céu senão fosse pelos merecimentos da Cruz de Cristo, contudo, é igualmente óbvio que Nosso Senhor se utiliza de ferramentas humanas para comunicar sua providência aos homens. É o caso de alguém que conversando converte um pagão, que numa pregação convence alguém a deixar o pecado… Quem converte e salva é Deus, mas se os homens, pecadores, são usados como “ferramentas nas mãos de Deus”, quanto mais não o seriam os santos!?

    Perguntamos: Qual é o católico que consegue fazer a distinção entre “latria”, “dulia” e “hiperdulia” quando se prostra para rezar fervorosamente perante os três personagens do quadro? Como bem expressou a pesquisadora de religiões, Mary Schultze: “a mão-de-obra é grande demais!” (9)

    Patrick(OLhar Católico)
    9 – Se o protestante, repleto de bloqueios culturais e preconceitos, não entende como esta distinção é feita, não significa que os católicos não possam entender isto com facilidade.

    Como quase todas as invenções doutrinárias do catolicismo através dos séculos têm seu embrião no paganismo, esta suposta distinção entre um culto e outro não é uma exceção. Os pagãos rodeados por seus muitos deuses e intercessores fizeram uma hierarquia de culto para eles, distinguindo entre divindades maiores e divindades menores. A Roma papal, cópia fiel do paganismo, também procedeu do mesmo jeito. Isto nos traz à memória um texto bíblico em que aparece uma situação análoga: “Assim estas nações temiam ao SENHOR e serviam as suas imagens de escultura; também seus filhos, e os filhos de seus filhos, como fizeram seus pais, assim fazem eles até o dia de hoje” (2Rs 17.41; grifo do autor).(10)

    Patrick(OLhar Católico)
    10 – Acusações gratuitas. Opiniões pessoais sem argumentação + Interpretação errada sobre a passagem bíblica e total ignorância sobre a realidade católica de sempre sobre o culto às imagens

    O correto uso dos vocábulos da Bíblia
    Os termos gregos dulia e latria não têm nenhuma semelhança com a definição que lhes dá o catolicismo. Podemos desmontar este arcabouço doutrinário levantado pela teologia romanista simplesmente recorrendo ao original grego do Novo Testamento.
    Dulia: é derivado do verbo grego douléuo, cujo equivalente é “servir”, “ser escravo”, “subserviente”. Este verbo é usado para expressar o nosso dever de servir a Deus, e aparece em passagens como:
    Mateus 6.24
    “Ninguém pode servir (douleuein) a dois senhores…”
    Atos 20.19
    “Servindo (douleuôn) ao Senhor com toda a humildade…”
    Romanos 12.11 (V. tb. 14.18)
    “Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo (douleuontes) ao Senhor”(11)

    Patrick(OLhar Católico)
    11 – A Sagrada Escritura usa o termo “adorar” em várias acepções, tanto no sentido de douleuo como de latreuo, como pode-se demonstrar através da “Vulgata”.
    Conforme Dave Amstrong, do Biblical Defense of Catholicism:
    (Latinizado do Grego douleia, ‘serviço’). A reverência na qual, de acordo com a teologia católica e ortodoxa oriental, pode ser devida aos santos, contrastado com hyperdulia, que deve ser devido somente à Virgem Maria, e latria (gr., latreia), que é reservado somente para Deus. No uso clássico contrastado com o uso eclesiástico douleia é um termo mais forte que latreia..
    Isto é consistente com o entendimento da Igreja Católica. Este dicionário continua a definir latria como se segue (p. 803):
    Contrastado com dulia, é a plenitude da divina adoração devida somente a Deus.
    O lexicon não-católico Theological Dictionary of the New Testament (eds. Gerard Kittel & Gerhard Friedrich; edição abreviada por Geoffrey Bromiley, Grand Rapids, MI: Eerdmans, 1985) concorda:
    O grupo de palavras entre os gregos [doulos e cognatos] . . . o grupo não apresenta nenhuma significância religiosa para os gregos. . .O adorador é philos ao invés de doulos, por isso não faz sentido descrever um serviço dos deuses, ou vida sob os olhos dos deuses, como na douleia. (p. 183)
    Da mesma forma, para latreia:
    No grego não-bíblico . . . Apresenta conotações como ‘serviço por recompensa’, ‘trabalho’, ‘cuidado corporal’, e ‘serviço aos deuses’ (p. 503).
    Douleia também pode ser encontrado no Vine’s Expository Dictionary of NT Words, no volume 1, p. 139, sob a forma de “sujeição,” e latreia no volume 3, p. 349, como “Serviço, ação de servir”.
    Douleia corresponde ao número #1397 no Strong’s greek lexicon. Ocorre cinco vezes no NT, e é traduzida no sentido de “sujeição” na KJV (Rm 8:15,21; Gl 4:24, 5:1; Hb 2:15, sendo que nenhuma com referência a Deus). Apresenta relação com os seguintes cognatos:
    #1398 douleuo “ser um escravo” 25 vezes no NT
    #1399 doule “criada” / “escrava” 3 vezes, incluindo a descrição de Maria sobre si mesma (Lc 1:38,48)
    #1400 / 1401 doulon / doulos “servo” / “escravo” 127 vezes
    #1402 douloo: “tornar um servo” 8 vezes
    Latreia corresponde ao número #2999 no Strong’s greek lexicon. Ocorre 5 vezes no NT, e é traduzido como “serviço” ou “serviço divino” na KJV – com referência a Deus (Jo 16:2; Rm 9:4, 12:1; Hb 9:1,6). É relacionado ao cognato latreuo, número #3000 no Strong’s Lexicon, geralmente significando “servo” ou “serviço”. Aparece 21 vezes no NT.
    Então, como de costume, as ditas palavras “inventadas pelos católicos” parecem possuir uma completa base bíblica e seguir uma distinção presente mesmo na etimologia grega pré-bíblica, posto que as palavras são diretamente derivadas do grego.

    ===
    Mesmo tendo provas bíblicas sobre isto, não interessa o “substantivo” usado. Poderíamos chamar o culto próprio a Deus de culto “abacaxi” e o culto aos santos de culto “uva”. A adoração é, eminentemente, um ato interior do homem, que pode se manifestar de formas variadas, conforme as circunstâncias e as disposições de alma de cada um.
    Posso me ajoelhar diante de um Rei, diante de uma imagem, quadro, túmulo, ou diante da Eucaristia. Os soldados romanos em Mc 15,19 usaram este gesto que estou tomando com exemplo (ajoelhar-se) para zombar de Jesus… Em cada situação o gesto é absolutamente o mesmo, mas o que irá determinar se estou sendo “idólatra” ou não são as minhas motivações, minha compreensão e vontade sobre aquele ato.

    Latria: o termo aparece nas escrituras gregas cristãs como adoração como culto, ritos, cerimônias, serviços exteriores. Vejamos alguns exemplos de seu uso:

    João 16.2
    “Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço (latreian) a Deus”.
    Romanos 9.4 (V. tb.12.1)
    “Que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto (latreia), e as promessas”
    Hebreus 9.6 (V. tb. 9.1)
    “Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços (latreias)”
    A palavra comumente usada na Bíblia Sagrada para adoração é proskyneo, cujo significado, entre outros, é prostrar-se e adorar, e não latreia. Vejamos:
    Mateus 4.10
    “Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás (proskunêseis), e só a ele servirás (latreuseis)”
    Tanto o culto de latria quanto o de dulia devem ser prestados somente a Deus, e a mais ninguém. Somente diante de Deus devemos nos prostrar e somente a Ele devemos servir. Portanto, servir a alguém em sentido religioso que não seja o próprio Deus é declaradamente idolatria, e foi essa a censura do apóstolo Paulo quando escreveu aos gálatas reprovando a vida idólatra que outrora levavam.
    “Mas, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses” (Gl 4.8).
    No original grego aparece a palavra dulia. Era justamente este o tipo de culto que os gálatas prestavam aos seus deuses, mas nem por isso Paulo os poupou de serem chamados de idólatras.
    Aos tessalonicenses, o apóstolo diz o seguinte: “Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro” (1Ts 1.9).
    Diante disso, entendemos que o culto de dulia deve ser prestado com exclusividade a Deus, ficando claro que o apóstolo, ao usar o termo dulia, condena esta superstição com a mesma força com que a condenaria com o termo latria” (Institutas, livro I, cap. 12).
    O que é hiperdulia?
    A definição do dicionarista para o prefixo hiper é: “posição superior; além; excesso”. Será que com o culto de hiperdulia os católicos não estariam cultuando a Maria acima e além de Deus(12) e, conseqüentemente, transformando-a em um ídolo? (13) As Escrituras nunca registram uma hiperdulia para Deus(14), mas apenas a dulia, já os católicos querem prestar a Maria um culto ou serviço superior ao que é prestado ao próprio Deus, ou seja, uma hiperdulia!(15)

    Patrick(OLhar Católico)
    12 – Não, não estamos.
    13 – Definitivamente, não.
    14 – Isto é óbvio. O culto devido à Deus é o culto de latria.
    15 – O “hiper” de hiperdulia age sobre a “dulia”, não sobre a “latria”. Com isso, queremos dizer que Maria é a mais santa de todos os santos.

    Para que nenhum católico diga que estamos jogando com as palavras para acusá-lo falsamente, vejamos o que afirma o livreto intitulado “Com Maria rumo ao novo milênio”, da editora Paulus:
    “Houve um tempo em que os católicos veneravam demais os santos. Esqueceram-se um pouco de Jesus. Ele até parecia um santo ao lado dos outros…” (p. 13; grifo do autor).(16)

    Patrick(OLhar Católico)
    16 – Heresias nas obras da Paulus é tão raro quanto um protestante que não reza o terço.

    Evidências disso são os títulos “santóides” conferidos a Jesus, tais como: “São Bom Jesus dos Milagres” e “Senhor Jesus do Bonfim”, entre outros.
    Se isto não for idolatria, então não sabemos mais o que poderia ser!(17)

    Patrick(OLhar Católico)
    17 – Não, vocês não sabem o que é idolatria.

    Todavia, os fatos falam por si só. E a questão em pauta envolve fatos, e não nomes. Alguém já disse que “contra fatos não há argumentos”. Não adianta querer esconder a situação espiritual em que os católicos se encontram com sutilezas e supostas distinções de palavras. Suas práticas constituem-se em atos de adoração explícita, ou seja, quando um católico se prostra diante de uma imagem de Maria e lhe faz pedidos, isto é idolatria.(18)

    Patrick(OLhar Católico)
    18 – Má interpretação dos fatos. O gesto de “ajoelhar e pedir” não significa por si só coisa alguma, conforme disse acima.

    Onde está a diferença da qualidade do culto que prestam a Deus, aos santos ou a Maria e suas imagens? Ela desaparece por completo no desenrolar da adoração do fiel.(19)

    Patrick(OLhar Católico)
    19 – Afirmação sem conhecimento de causa.

    Por tudo isso é que não podemos aceitar a sutileza usada pelos teólogos católicos para diferenciar os tipos de culto que prestam em seus “arraiais”.
    Oremos para que o Espírito Santo conceda-lhes oportunidades de reconhecer, em tempo oportuno, aquele que é o único digno de adoração. De verdadeira adoração!(20)

    Patrick(OLhar Católico)
    20 – O único digno do culto de latria é Nosso Senhor Jesus Cristo. E por mais que os protestantes não entendam, por vezes por conta da ignorância invencível , que a honra aos súditos só engrandeçe seu senhor, (a honra aos santos só engrandece a honra de Deus perante o intelecto humano) isto é fato consumado.

  9. Diogo A. Barros Says:

    Prezados irmãos católicos deste site: a Graça e a PAZ que só procedem Dele estejam convosco!

    Muito me alegrou esta página, altamente recomendável para todos!

    De fato, CRISTO instituiu uma ÚNICA IGREJA, e os humanos, por seus defeitos e por sua ignorância, decidiu fazer aquilo que ele próprio achava ser melhor, e se colocando no lugar do Magistério e dos santos, se fez a si próprio “pastor”, ou “bispo”, ou “apóstolo”, fundando “igrejas” que não são igrejas. JESUS fundou uma única Igreja, e os homens se dividiram pelo erro.

    Graças à DEUS permaneci sempre na Sua ÚNICA IGREJA! Rezemos pelos irmãos separados, que se deixam levar pela ignorância que afetou outros de maior conhecimento e que cismaram a IGREJA! Rezemos, porque eles também acreditam em DEUS e também O amam e O adoram sobre todas as coisas! Rezemos, porque alguns já se converteram por CRISTO, nosso SENHOR, e por MARIA, nossa amadíssima MÃE! Rezemos, porque o tempo é curtíssimo, e DEUS tem pressa.

    Um dia, as outras “igrejas” reconhecerão seus diversos erros.

    CRISTO disse: “se um reino está dividido cairá em ruínas”. Ora, queria ELE que Seu próprio Corpo Místico estivesse dividido? Não estaria São Paulo com a razão quando disse que todos os cristãos fazem parte de um só Corpo, cuja Cabeça é CRISTO? Queria JESUS que tivessem diversos “pastores” com diversas doutrinas diferentes? NÃO! JESUS quer a união na Plena Verdade, e a Verdade é mantida íntegra somente na IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA! Porque foi a única que manteve toda a Tradição completa. As únicas Igrejas qe são sucessoras católicas e, portanto, legítimas, são os ortodoxos e os anglicanos, sendo que eles erram quando não aceitam toda a Verdade do nosso Magistério.

    Vinde ESPÍRITO SANTO, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o Fogo do Vosso Amor. Enviai, SENHOR, o Vosso ESPÍRITO e tudo será criado, e renovareis a face da Terra. ó Deus que instruístes os corações dos Vossos fiéis
    Com a luz do Espírito Santo,
    Fazei que apreciemos retamente todas as coisas
    Segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de suas consolações
    Por Cristo Senhor nosso, Amém.

    Ficai em PAZ, e que A VERDADE OS ilumine!

  10. Diogo A. Barros Says:

    Gostaria de pedir licença para escrever o seguinte para os caríssimos irmãos separados que aqui chegam:

    Sobre a falsa acusação de idolatria:

    1º erro dos protestantes: não sabem fazer a distinção entre veneração e idolatria.

    Venero MARIA, a Quem amo muitíssimo, muito mais que a mim mesmo! VENERO, porque do meu coração par MARIA, vem a maior forma de respeito e amor que e posso ceder a um ser humano, que é criatura, portanto. Ajoelhar-se diante de Sua imagem é igualemnte venerá-la, pois eu o faço por respeito e amor que lhe são corretamente tributados, uma vez que Aquela Criatura é a própria MÃE de DEUS! Sua imagem a representa, e DEUS mesmo se alegra e muito com toda a homenagem feita à Ela, mesmo que seja ajoelhar-se diante de Sua imagem.

    Se vocês procurarem na história de José vendido pelos irmãos aos egípcios, verão que seus irmãos se prostraram diante dele quando ainda não sabiam quem ele era. Eles se prostraram como a um ídolo? Certamente que não. Se prostraram por respeito e não por adoração.

    Quando eu vou à Igreja e fico diante do Nosso SENHOR JESUS CRISTO, presente na Eucaristia, me prostro e me ajoelho em adoração! Adoração e não veneração! Porque sei que ali está o meu Único DEUS e Salvador!

    2º erro: confundir imagem com ídolo. Quando DEUS proibiu as imagens, proibiu se referindo aos ídolos, coisa elementar que qualquer estudante da Bíblia deveria saber. As imagens dos santos e anjos se referem a representações de pessoas celestes, e não foram feitas para serem adoradas, pois se o fizéssemos estaríamos certamente pecando. Mas não pecamos, pois bem sabemos disto, sabemos que as imagens nos ajudam a rezarmos para uma mesma pessoa. Se a comunidade quiser rezar para um santo, poderá se reunir naquela imagem para que todos tenham a mesma devoção e objetivo.

    ídolos saõ imagens de deuses, portanto, falsos deuses. ídolos eram feitos para serem adorados e reverenciados como falsos deuses, o que não ocorre com as imagens.

    3º erro dos protestantes (só relativo a este assunto):

    Julgar-nos erradamente de idólatras! Sim! Estão absurdamente errados, meus irmãos rebeldes, porque como saberão se alguém adora ou venera algo? Isto só se pode saber se você sabe o coração da pessoa. Se a pessoa quiser adorar algo, o que de fato NÃO o fazemos!, como vcs poderiam julgar ser veneração ou adoração? NÃO PODEM! Portanto, caríssimos irmãos protestantes, vocês estão errados em diversos, DIVERSOS, aspectos.

    Nenhuma “igreja” de vocês tem legitimidade apostólica!
    Nenhuma “igreja” de vocês tem a autoridade de CRISTO!
    Nenhuma “igreja” de vocês guarda a Tradição dos apóstolos!
    Nenhuma “igreja” de vocês existia até Lutero!
    Nenhuma “igreja” de vocês tem CRISTO EUCARÍSTICO, conforme na própria Sagrada Escritura, a qual foi eleita por vocês mesmos como a única forma de se aprender Religião, por vocês próprios é deformada!
    Nenhuma “igreja” ensina a Verdade íntegra, mas sim com diversas deformações!
    Nenhuma “igreja” de vocês tem autoridade dos Sacramentos!
    Nenhuma “igreja” conduz ao CRISTO que está verdadeiramente VIVO na Sua única Igreja de Verdade!
    Nenhuma “igreja” de vocês pode se dizer a Verdadeira Igreja de CRISTO, porque foram fundadas apenas por humanos!
    Nenhuma “igreja” de vocês pode se dizer a Verdadeira Igreja de Cristo porqe estaria entrando em contradição com sua própria natureza rebelde!
    Nenhuma “igreja” tem a sucessão apostólica e hierárquica dos primeiros cristãos!

    E, para acabar, irmãos, não nos levem a mal, mas pelo contrário, agradeçam a DEUS pelo nosso testemunho, pois se vocês soubessem qual é a VERDADEIRA IGREAJA DE CRISTO, vcs não a defenderiam? Vcs não dariam as suas vidas por ELA? Portanto, eu dou a minha vida pela ÚNICA IGREJA DE CRISTO: A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA!

    LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, QUE FUNDOU SUA ÚNICA E VERDADEIRA IGREJA! PARA SEMPRE SEJA LOUVADO!

    “Pedro, apascenta o meu rebanho.”

    Para acabar, leiam o que JESUS disse à Vassula:

    “Boa parte dos Meus discípulos isolaram-se completamente sob o nome de Lutero. Eles devem regressar a Pedro.”

    http://www.tlig.org/pgmsg/pgm213.html

  11. Diego Neves Says:

    Meus caros,

    sempre quando passo por aqui fico com algumas dúvidas. Gostaria que alguém do site pudesse me explicar melhor.

    O item 7 argumenta que Pedro foi o cabeça da Igreja (o primeiro para). Sendo assim, deveria ele ter parte com o celibato pastoral. O item 15 argumenta que é bom que o homem permaneça solteiro, porém isso não é obrigatório, já que ao mesmo tempo não é bom que o homem fique só [Gênesis 2:18]. Sendo assim, os papas, bispos, padres, etc podem escolher ser casados ou a igreja católica realmente proíbe? Causaria excomunhão?

    Se realmente é proibido, porque não tiraram logo o primeiro papa do seu ministério, visto que Pedro era casado?

    “A sogra de Simão achava-se acamada com febre…” Marcos 1:30
    Este Simão é nada menos que o Apóstolo Pedro. Lemos Mateus 4:18 e 10:2 para confirmar.

    Gostaria de saber qual é a opinião de vocês.

    A Graça e a Paz de Jesus Cristo esteja com todos nós!!

    Olhar Católico

    Prezado Diego, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Senhor!
    Nota-se que quando você passa por aqui sai com dúvidas que não é pela clareza do que é exposto, mas pelo simples fato de não querer aceitar a verdade contida no exposto. Pois bem, vamos as suas “dúvidas”:
    1-Celibato de São Pedro.
    Pedro, após conhecer Jesus tornou-se celibatário: “Pedro começou a dizer-lhe: Eis que deixamos tudo e te seguimos” (Mc10, 28). Claro, não por imposição mas por opção, assim como o é na Igreja de Cristo.
    2-Celibato clerical.
    Que vosso sim, seja sim; que vosso não, seja não. Assim não caireis ao golpe do julgamento.” (Tg5, 12c). Se eles dizem sim, quero ser Diácono, Padre (Presbítero), Bispo, Papa, eles optam consequentemente pelo celibato. Ou seja, eles escolhem. Caso descumpram esta promessa e insistissem nela estariam suspensos das ordens eclesiásticas, não excomungado.

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  12. Diego Neves Says:

    Retorno a este local para pedir uma opinião de todos os que aqui frequentam, agora sobre o item 17. Coloco minha simples opinião abaixo, como postei-a numa parte no post “Protestante questiona culto à Maria e acusa a Igreja de assasina de inoentes” e que ainda aguardo aceitação do mediador[Olhar Católico – comentário respondido].

    A questão da mãe de Deus

    No ano de 431, na cidade de Éfeso, fora realizado o concílio em que Maria foi declarada mãe de Deus. Em João 8:58 Jesus disse “Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.”. Ou seja, Jesus não passou a existir quando Ele foi gerado no ventre de Maria. Apesar de ser assim declarada mãe de Deus, ela não é a mãe de Deus porque Deus sempre existiu, visto que Deus é o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o PRINCÍPIO e o FIM [Apocalipse 22:13]. Também no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez (inclusive Maria) [João 1:1] – ênfases adicionadas por mim. Se realmente Maria fosse a mãe de Deus, os irmãos[Olhar Católico – falsa acusação e interpretação bíblica também respondida] de Jesus [Mateus 12:47] seriam filhos de Deus também, tratando-se de genealogia direta, e não espiritual. Os primos seriam primos de Deus. Isabel seria tia de Deus também? E José? Padrasto de Deus? Óbvio que tratam-se de inquestionáveis absurdos.

    Em toda a Biblia, sempre encontramos “Maria, mãe de Jesus” e não “Maria, mãe de Deus”. Isso é impossível, pois, como dito acima, Deus não tem princípio nem fim, pois Ele é Eterno, Ele é o Princípio e o Fim. Essas passagens que falam sobre mãe de Jesus obviamente é de Jesus Homem, e não de Deus, visto que “ELE SE FEZ carne [por Vontade Própria], e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai” [João 1:14, ênfase adicionada]. Também vimos que: “Tende em vós aquele sentimento que houve também em CRISTO JESUS, O QUAL, SUBSISTINDO EM FORMA DE DEUS,
    NÃO CONSIDEROU O SER IGUAL A DEUS COISA A QUE SE DEVIA AFERRAR, MAS ESVAZIOU-SE A SI MESMO, TOMANDO A FORMA DE SERVO, TORNANDO-SE SEMELHANTE AOS HOMENS; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” [Filipenses 2:5-8, ênfase adicionada por mim].

    Nem mesmo Maria se declarou em algum momento ser a mãe de Deus, muito pelo contrário. Dotada de muitas virtudes e sabendo que mesmo sendo virgem daria luz ao Salvador, de acordo com a Palavra de Deus, se rebaixou e colocou-se na condição de serva: “Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra.” [Lucas 1:38].

    Gostaria da opinião de todos sobre o que tenho dito acima.

    A Graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo esteja com todos nós!!

    Olhar Católico:

    Prezado Diego, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Senhor (cf.Lc1, 43)!

    Vamos por partes:

    1º – Maria é Mãe de Jesus: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus” (Lc1, 31).
    2º – Jesus é Deus: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus.” (Jo1, 1).
    3º – Maria é Mãe do Verbo Encarnado: “Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo” (Lc1, 32) e do Salvador de Santa Isabel (e Nosso Salvador, claro) como atesta o Espírito Santo por meio dela: “
    Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre” (Lc1, 41c-42).

    Logo, o Espírito Santo atesta que Jesus, Filho de Maria, é o Salvador de Santa Isabel (e Nosso Salvador). Quem é que nos salva? O Jesus Deus ou o Jesus Homem? Há dois Jesus’s? Então são quatro as Pessoas da Santíssima Trindade (ou quadrangular neste caso)? NÃO. Jesus é uma Pessoa apenas, de duas naturezas, uma Humana e outra Divina, ambas na mesma Pessoa, que nos Salva. Admitir que apenas uma Natureza de Cristo nos salva é heresia. Admitir que a Sempre Virgem Maria é Mãe apenas de uma natureza é impossível, não existe “meia-mãe”. Então Maria é Mãe de Jesus, que é Deus, logo Maria é Mãe de Deus.

    Em Cristo, Deus e o homem formam um único ser. Não se trata do espírito de Deus “habitando” um corpo humano ou um líquido dentro de uma embalagem qualquer. Enfim, Cristo não pode ser dividido. Portanto, Maria é mãe do todo, e não de uma ‘parte’”(RAMOS, Cledson. Apostolado Veritatis Splendor: MARIA, MÃE DE DEUS. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/465. Desde 26/04/2001).

    Ser Mãe de Deus é uma prerrogativa tão alta, coisa tão imensa, que supera todo e qualquer intelecto. Daí lhe advém toda a honra e a alegria e isso faz com que ela seja uma única pessoa em todo o mundo, superior a quantas existiam e que não tem igual na excelência de ter com o Pai Celeste um filhinho comum. Nestas palavras, portanto, está contida toda a honra de Maria. Ninguém poderia pregar em seu louvor coisas mais magníficas, mesmo que possuísse tantas línguas quantas são na terra as flores e folhas nos campos, nos céus as estrelas e no mar os grãos de areia.” (Martinho Lutero).

    Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.” (João Calvino, Comm. Sur l’Harm. Evang.,20).

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  13. Marcos Says:

    ¬¬¬¬¬¬kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    é um absurdo eu sei!! mas só dando gargalhada com tudo q li!! rs
    Meu SENHOR amado JESUS, abra os olhos destes amados!!
    Todas as perguntas atribúidas aos protestantes estão completamente alteradas de uma forma totalmente mal formulada. Veja algumas correções (maiúsculas) das quais ai sim estariam corretas e verdadeiramente não camufladas:

    *****************************

    Respostas do Olhar Católico em negrito e entre os asteriscos (****).

    *****************************

    1 — Protestantes: — Todas as verdades reveladas por Deus TIDAS COMO ESSENCIAIS PARA A SALVAÇÃO encontram-se na Bíblia

    *****************************

    Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.

    *****************************

    2 — Protestantes: — Só a Bíblia contém as regras da fé NECESSÁRIAS PARA A SALVAÇÃO, não a tradição.

    *****************************

    Idem á primeira acusação.

    *****************************

    3 — Protestantes: O único magistério ESCRITO é o da Bíblia. O ESPIRITO SANTO NOS REVELA A CADA UM CONFORME A NOSSA NECESSIDADE. Somente nela se pode crer.

    *****************************

    Ah, claro. O Espírito Santo se revela a todo mundo, especialmente aos protestantes, e somente a interpretação deles é que são válidas. Já a Igreja Católica não goza do “Livre Exame” pois os protestantismo foi quem recebeu a promessa de que Jesus: “soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Mt20, 22). Isto é totalmente o contrário! Os apóstolos foram quem receberam o Espírito Santo, que por sua vez foi recebido por aqueles a quem os Apóstolos impunham suas mãos, e isto se chama, de um modo bem simplório, sucessão apostólica, algo que a Igreja de Cristo é quem tem, não as seitas protestantes. Lembre-se de que quem compilou a Bíblia foi a Igreja de Cristo. E antes dela ser compilada não havia salvação pra ninguém? É lógico que não, eles conheciam a Cristo pela Tradição.

    *****************************

    4 — Protestantes: A Bíblia é fácil de se entender DESDE QUE SE SAIBA LER DE FATO NO DEVIDO CONTEXTO E CONCORDÂNCIA GERAL DESDE O AT AO NT, quem a lê está livre de erro.

    *****************************

    Como assim? Tem que ler no contexto ou com o Espírito Santo? Ou será que é os dois? Isto não altera em nada a acusação e tampouco a resposta do post.

    *****************************

    5 — Protestantes: Jesus não estabeleceu autoridade MAIOR NEM MENOR QUANTO A FUNÇÕES MINISTERIAIS (APOSTOLOS, MESTRES, PASTORES, PROFETAS, INTERCESSORES), MAS FUNÇÕES ORGANIZACIONAIS (BISPO, PRESBITERO, OBREIRO, ETC) HÁ DE SE TER (E NESTA, ORGANIZACIONAL NAO INCLUI PAPA) alguma na sua Igreja; pastores e fiéis são todos iguais.

    *****************************

    “Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros.” (Jo21, 15).

    *****************************

    6 — Protestantes: A Igreja Romana NUNCA FOI A IGREJA DE CRISTO, ELA FOI SOMENTE UMA DISSIDENTE DA IGREJA APOSTOLICA no inicio [Xfoi a Igreja de CristoX], QUE [XmasX] com o passar do tempo OUSOU SER MAIOR QUE AS OUTRAS ORGANIZADAS NA ÉPOCA COMO PENTARQUIA vem caindo em erros, abusos e escândalos, demonstrando que ela não é mais a Igreja de Cristo.

    *****************************

    Decidam-se. Então existe mais de uma igreja? Cristo tem duas esposas? Ou casou com uma inicialmente, separou-se e uniu-se a outra? É por isso que o protestantismo não considera o matrimônio indissolúvel? Que Deus é esse que não é capaz de cumprir a sua promessa de que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt16, 18)? É claro que não, pois “uma, porém, é a minha pomba, uma só a minha perfeita” (Ct6, 9a). Quem é uma? A Santa Igreja Católica Apostólica Romana!

    *****************************

    7 — Protestantes: Jesus não constituiu Pedro cabeça da Igreja. Na Igreja não há outra cabeça senão Cristo. Logo não deve haver Papa. (OBS. A IGREJA NAO É UM MONSTRO PARA TER DUAS CABEÇAS)

    *****************************

    A Igreja é, outrossim, o Corpo Místico de Cristo, que é Sua Cabeça invisível, como Pedro e seu sucessor a visível.”( BRODBECK, Rafael Vitola. Apostolado Veritatis Splendor: A VENERAÇÃO A SÃO PEDRO E A PERTENÇA AO CORPO MÍSTICO DE CRISTO)

    *****************************

    8 — Protestantes: Jesus não constituiu bispos para governar a sua Igreja. Jesus não deu aos seus apóstolos o poder de ordenar sacerdotes; portanto, o chamado sacerdócio católico não foi instituído por Cristo. (FATO, SACERDOTES TODOS SOMOS SEGUNDO 1 Pedro 2:8)

    *****************************

    Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.

    *****************************

    9 — Protestantes: Qualquer um que esteja cheio do espírito evangélico (NAO EXISTE ESPIRITO EVANGELICO, NUNCA DIZEMOS ISTO) é verdadeiro sacerdote de Cristo e pode pregar seu Evangelho sem necessidade de passar por cerimônias chamadas “ordenações” nem ser enviado por bispo ou papa.

    *****************************

    Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.

    *****************************

    10 — Protestantes: Quem crer em Jesus Cristo como salvador se salva, não é necessário fazer boas obras. (OBRAS CRISTAS- CONSEQUENCIA DA FÉ EM CRISTO E NAO O CONTRÁRIO – Rm 11:6 – Rm 3:24)

    *****************************

    Ninguém disse que a Fé é dispensável, mas não unicamente essencial, afinal, o Lúcifer também crê em Cristo, tanto crê que faz de tudo para perder as almas, mas nem por isso está salvo.

    *****************************

    11 — Protestantes: Jesus morreu pela salvação de todos; logo é fazer injuria a Cristo dizer que são necessárias nossas obras para a salvação, como se a redenção não fosse suficiente. A fé em Jesus é que nos merece o Reino do Céu, não as obras. (OBRAS CRISTAS- CONSEQUENCIA DA FÉ EM CRISTO E NAO O CONTRÁRIO – Rm 11:6 – Rm 3:24)

    *****************************

    “E se possuir o dom da profecia e conhecer todos os mistérios e toda a ciência e alcançar tanta fé que chegue a transportar montanhas, mas, se não tiver caridade, nada sou”. (1Cor 13,2)

    *****************************

    12 — Protestantes: Jesus não está realmente na Eucaristia, nem quis ele dar-nos a sua carne e o seu sangue para comermos e bebermos. Isso é um absurdo forjado pela Igreja de Roma. Não há prova alguma na Bíblia de que Jesus haja estabelecido o que os católicos chamam sacrifício da missa, nem que os apóstolos hajam celebrado esta cerimônia. (JESUS ESTAVA PRESENTE EM CARNE E OSSO NO MOMENTO EM QUE INSTAUROU ESTA COMUNHAO DE LEMBRANÇA, PORTANTO, O PAO E O VINHO NAO PODERIAM SER ELE MESMO! JESUS MORREU UMA VEZ SÓ POR TODOS NÓS, É UM SACRILÉGIO A PERPETUAÇÃO DESTE SACRIFICIO NA MISSA)

    *****************************

    O pão e o vinho não poderiam ser Jesus!? E por que não? Ele mesmo disse: “Isto é o meu corpo” (Lc22, 19b) e “Isto é o meu sangue” (Mc14, 24). Isso é muito duro pra você? “Quereis vós também retirar-vos?” (Jo6, 67). Nosso Senhor Jesus não é do tipo “faz de conta que é o meu corpo e faz de conta que é o meu sangue”! Não! Não, não e não! Ele não é faz de conta, Ele mesmo afirma: “Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida” (Jo6, 55). Verdadeiramente, e não “faz-de-contamente”! Sacrilégio é esta baboseira que você falou!

    *****************************

    14 — Protestante: Só Deus perdoa os pecados, ele não concedeu aos padres católicos o poder de perdoá-los. (JÁ FORA DITO O POR QUE ANTERIOMENTE)

    *****************************

    Aonde? Em Jo20, 23? “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”(Jo20, 23)?

    *****************************

    15 — Protestantes: Em nenhuma parte da Bíblia se encontra, como ensinamento divino, a lei do celibato no ministério pastoral. (PERGUNTA FALSA – ESSA AFIRMAÇÃO NAO EXISTE).

    *****************************

    Opa, então você é a favor do celibato? Que bom!

    *****************************

    16 — Protestantes: O matrimonio não é um sacramento instituído por Jesus. (PERGUNTA FALSA – NUNCA OUVI FALAR NISSO!)

    *****************************

    Melhor! Então você acredita que o Matrimônio é um Sacramento instituído pelo Cristo. Que bom, então significa que você vai entender direitinho o que quis dizer no item 6.

    *****************************

    As não citadas, estão corretas, mas as referencias como resposta só nos alertam quanto à tamanha da ignorancia do conhecimento das Escrituras, estão todas descontextualizadas e na maioria não respalda em nada a pergunta feita!

    *****************************

    É? Então mostre.

    *****************************

    É ultrajante!! O que a cegueira faz com as pessoas! Livre estou – a graça de JESUS me basta, não preciso de maria e de nenhum santinho! Aceitá-los é o mesmo que dizer que CRISTO é falho e insuficiente para nós!
    que o SENHOR lhes abençoe com novos olhos espirituais!

    *****************************

    Não aceitá-los como intercessores junto a Cristo é dizer que somos dignos de Cristo, o que não o somos.

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

    *****************************

  14. Marcos Says:

    ***** Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.
    >>>>>>>>> Há mudanças relevantes sim, do contrário, vocês não
    teriam como fundamentar a relação ‘co-redentora’ de maria que
    sugestionam para serem salvos, o que fora acrescido pela tradição romana. Portanto a Bíblia fornece verdades essenciais, mas não totais como ela mesma deixa claro de que não seria possível ao nosso entendimento.
    ***** Interessante argumento… Pois bem, você acredita na Santíssima Trindade? Vai depender de que seita você é, pois de acordo com o Livre Exame de vocês, alguns seguem a esta doutrina outros não. Caso você acredite, por favor, mostre-me na Sagrada Escritura o nome Santíssima Trindade, ou o seu fundamento. Caso não acredite, por favor, mostre-me também na Escritura, e explique-me por que algumas seitas protestantes seguem esta doutrina e outras não. Acaso o Espírito Santo está dividido, pois segundo vocês quem sabe ler já pode pegar sua Bíblia e ser “inspirado” por Ele.

    ***** Idem á primeira acusação.
    >>>>>>>>> Idem a primeira contra-resposta, consta para os romanos que sem a tradição não há salvação. Ou fora da romana existem pessoas salvas? Não foi o q o papa cansou de declarar.
    ***** Onde consta que “sem a tradição não há salvação”? Aliás, como você sabe que um dia Nosso Senhor Jesus Cristo encarnou-se no seio da Virgem Maria e pisou nossa Terra? Pois a Bíblia foi compilada séculos depois. Como isto pode manter-se? Através da Tradição, pois ela veio antes da Escritura.

    ***** Ah, claro. O Espírito Santo se revela a todo mundo, especialmente aos protestantes, e somente a interpretação deles é que são válidas. Já a Igreja Católica não goza do “Livre Exame” pois os protestantismo foi quem recebeu a promessa de que Jesus: “soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Mt20, 22). Isto é totalmente o contrário! Os apóstolos foram quem receberam o Espírito Santo, que por sua vez foi recebido por aqueles a quem os Apóstolos impunham suas mãos, e isto se chama, de um modo bem simplório, sucessão apostólica, algo que a Igreja de Cristo é quem tem, não as seitas protestantes. Lembre-se de que quem compilou a Bíblia foi a Igreja de Cristo. E antes dela ser compilada não havia salvação pra ninguém? É lógico que não, eles conheciam a Cristo pela Tradição.
    >>>>>>>>> Não meu caro, não somente para com os evangélicos, mas a todos que tiverem coração humilde suficiente para ouvi-LO e receber a confirmação e o SEU convencimento diante das verdades bíblicas imutáveis. Se não fosse o protestantismo de Lutero meu caro, vc não teria sua bibliazinha em casa para ler não é? Agradeça-lhe! rs. Esta é uma das provas que DEUS não está no comando da romana, e sim o fatídico papa! Eles conheciam a CRISTO e o aceitavam pela fé que lhes era imputada pelo convencimento do ESPIRITO SANTO através da mensagem concordada com as escrituras (AT)! Não seja tão blasfemo para contradizer a própria Bíblia! Ponhe uma palavra no lugar de outra! Não era tradição amado, era pregação!!!
    At 28:23 ‘E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde.’
    Gl 3:24 ‘De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.’
    Rm 10:13-17 Pela pregação
    2 Tm 3:14-17 Instruído pelas escrituras
    Se reparar bem, em todas as referências de que é citada na Bíblia sobre tradição, com exceção de apenas 1, é remetida a tradição dos judeus. Pesquise e verá, e sempre com citações negativas, q em contraposto, Paulo faz uma menção das novas tradições cristãs, em vista de contrariar as tão citadas judaicas em 2 Ts. 3. Perceba o q ele cita desde o v.1, é interessante, é o SENHOR que nos confirma e guarda mediante Sua Palavra, não tradição. Não deixou de ser tradição sendo propagada, mas esta, foi fechada com o canon, agora muito do que foi inventado pela romana foi totalmente desvinculada dos preceitos e ensinos de toda a Bíblia. Filho amado do SENHOR, a história da IGREJA DE CRISTO não se resuma a romana não amado! Existem várias outras como a de constantinopla, antioquia, jerusalem, vc sabe, a pentarquia, além de outras várias como podemos constatar em apocalipse por exemplo.
    ***** Então graças a Santo Lutero é que hoje tenho minha “bibliazinha” em casa!? Nossa que herói da fé! Já pensou se eu for seguir ele também quando diz: “crê firmemente e peca à vontade”? Deveria eu apenas crer e pecar à vontade… Mas, por favor, esclareça minha ignorância tão obscura: com base em que você afirma que somente graças a “santo Lutero” é que tenho minha “bibliazinha”? Sua fonte, por favor. A pregação que você diz não ser tradição é a mesma coisa! Apenas omiti o termo oral, que já está logicamente implícito. Foi através da tradição oral que o ensinamento do Cristo são, foram, e sempre será transmitido, com o auxílio da Sagrada Escritura. O fato das excessivas e desnecessárias tradições judaicas serem renegadas não justifica a não transmissão da cristã como o próprio São Paulo afirma “Intimamo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que eviteis a convivência de todo irmão que leve vida ociosa e contrária à tradição que de nós tendes recebido” (2Ts3, 6). São diversas acusações sem fundamentações que sem elas não valem a pena responder. Mas quem disse que a Igreja Católica está somente em Roma?

    ***** Como assim? Tem que ler no contexto ou com o Espírito Santo? Ou será que é os dois? Isto não altera em nada a acusação e tampouco a resposta do post.
    >>>>>>>>> Vocês tem dificuldade de entender né? O ES nos convence e nos confirma o que nos é dito pela Palavra. O que deve seguir inequivocadamente a verdade bíblica. Os católicos nao sabem contextualizar a Palavra, pq se soubessem, o fato de DEUS ter imposto as inúmeras ordens de destruição de imagens no AT, e no NT nao existirem as mesmas, e a romana trazer a tona esta tradição antiga e pagã mesmo depois destes séculos de escritos contrariando, é pq nao sabe contextualizar a Palavra. E isso é básico, que dirá os diversos outros pontos cruciais!!
    ***** Tal vez o “espírito” que lhe anima não seja o Espírito que me anima. Ora, seria ilícito fabricar imagens quando o Próprio Deus assumiu uma imagem, a de Jesus Cristo? Mas, interessante, seria este espírito que lhe anima o mesmo espírito que anima denominações protestantes a erigir imagens? Sim, clique aqui e verás! Estaria Deus em contradição ao mandar erigir imagens em Ex25, 18-20? Ou ainda em Nm21, 8-9? E ainda em I Reis 6, 23-35? Aliás, quem disse que os católicos adoram imagens? Eu não adoro, nãos as coloco no lugar e culto devido somente a Deus. Prove que eu adoro imagens e esclareça minha idólatra mente, por favor! Contextualizei errado por acaso? Qual é a forma certa de contextualizar? Onde se ensina “como se contextualizar” na Bíblia? Isto, na Bíblia, pois somente nela você acredita não é?

    ***** “Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros.” (Jo21, 15).
    >>>>>>>>> O texto não diz se Pedro é menor ou maior, só disse o que um pastor faz, apascentar as ovelhas significa o q? Não é pastor? Em Ef 4:11 diz q tem vários ministérios, um destes é o pastorado! Onde tem papa? Pedro era pastor, Paulo por exemplo era doutor! Existem as funções eclesiásticas, como é relatada a partir de 2Tm3 em diante… q estas sim existem hierarquia. Mas uma vez, onde constatamos papa?
    ***** Mas São Pedro era Apóstolo, tinha ele então “dois cargos” segundo o seu espírito? Claro que não. São Pedro foi incumbido de confirmar (Cf. Lc22, 32) todo o rebanho do Cristo (Jo21, 15), e por isto quem está com ele está com Cristo e quem não está com o Mordomo Real do Rei Jesus não está com Cristo (Mt12, 30).

    ***** Decidam-se. Então existe mais de uma igreja? Cristo tem duas esposas? Ou casou com uma inicialmente, separou-se e uniu-se a outra? É por isso que o protestantismo não considera o matrimônio indissolúvel? Que Deus é esse que não é capaz de cumprir a sua promessa de que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt16, 18)? É claro que não, pois “uma, porém, é a minha pomba, uma só a minha perfeita” (Ct6, 9a). Quem é uma? A Santa Igreja Católica Apostólica Romana!
    >>>>>>>>> Primeiramente, você sabe muito bem que quem dissindiu primeiramente foi a romana, a pentarquia era inteira, uma só e representantiva da IGREJA DE CRISTO, vc sabe mt bem q com a idéia papal nenhuma das outras aceitaram e assim a romana rompeu-se. Ou vai dizer q foram todas as outras quem rompeu? rs. Mas vamos para fundamentos bíblicos? Vcs insistem q igreja é instituição mas segundo a Palavra esta idéia nao se mantem! Rm 12:4-5, Cl 1:18, e ainda mais evidente em Ef 1:22-23 e Cl 1:24. Não há o que explicar, está bem claro! Membros = Corpo = Igreja! A igreja, portanto, são pessoas!! Em Ef 5:22-32 há toda uma analogia entre um casal e CRISTO e a igreja e no fim, é dito ‘Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.’ Portanto nós somos a noiva! A igreja, o Corpo.
    ***** Não, não sei não. De que livro de História você fala tanto em pentarquia, dissidência de Roma, etc.? Ora meu caro, então utilizando o seu mesmo raciocínio chegamos a blasfêmia de que Cristo é prostituto, já que toma vários noivos, pois “nós somos a noiva”! A Igreja é uma instituição Divina e Humana fundada por Cristo: “… Tu és Pedro, e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja…”.

    ***** “A Igreja é, outrossim, o Corpo Místico de Cristo, que é Sua Cabeça invisível, como Pedro e seu sucessor a visível.”( BRODBECK, Rafael Vitola. Apostolado Veritatis Splendor: A VENERAÇÃO A SÃO PEDRO E A PERTENÇA AO CORPO MÍSTICO DE CRISTO)
    >>>>>>>>> Interessante este texto, certa vez defendia exatamente isto, exceto a segunda parte q fala de pedro e sucessor ae, dizia q a Igreja é o Corpo invisível de CRISTO, e que ELE como cabeça era o único que poderia saber quem são na totalidade estes membros que formam o Corpo, a Igreja. A obs. que fiz é referente ao casamento dos sacerdotes católicos com a romana quando de seu ordenado e voto de castidade, ou não sabe disso? Agora não tenho a referência. Mas procure saber. Segundo esta visão, é bem aceitável que digamos que a ICAR seja uma prostituta, afinal sá-se em casamento a muitos!E além disso, se vcs defendem que a romana q é a noiva de CRISTO, como podem os sacerdotes fazerem voto de castidade para com a igreja?
    ***** Não confunda os Sacramentos. Matrimônio é uma coisa e só pode ocorrer entre um homem e uma mulher. Ordem é outro Sacramento diferente, ambos de serviço. Este ultimo garante e mantém a Sucessão Apostólica por meio da imposição de mãos e ainda:
    “Mas “os membros não têm todos a mesma função” (Rm 12,4). Certos membros são chamados por Deus, na e pela Igreja, a um serviço especial da comunidade. Tais servidores são escolhidos e consagrados pelo sacramento da ordem, por meio do qual o Espírito Santo os torna aptos a agir na pessoa de Cristo-Cabeça para o serviço de todos os membros da Igreja. O ministro ordenado é como o ícone de Cristo Sacerdote. Já que o sacramento da Igreja se manifesta plenamente na Eucaristia, é na presidência da Eucaristia que o ministério do Bispo aparece primeiro, e, em comunhão com ele, o dos presbíteros e dos diáconos” (Catecismo da Igreja Católica, 1142).

    ***** Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.
    >>>>>>>>> Bom, antes, me faltou fazer uma colocação, JESUS ordena sim bispos, prebiteros, etc em Sua Palavra, como pode ae estar dizendo que não? Mas uma mentira elaborada para fraudar a verdade que nós evangelicos seguimos. Meu caro, se eu digo no fim que sacerdócio todos nós somos, como vcs dizem q a doutrina católica é de única fonte de origem e discussão junto aos seus sacerdotes? Vc não é sacerdote segunda a Palavra? Pq vc não faz parte destes concílios?
    ***** Foi Jesus que ordenou então o bispo de sua igreja? Por meio de quem? Quem impôs as mãos sobre ele? Entenda que há uma grande diferença entre o múnus sacerdotal de um leigo e o de um ministro ordenado. Este recebeu dos Sucessores dos Apóstolos de Cristo a sua missão como Sacerdote.

    ***** Não altera em nada a acusação e a resposta. Basta reler o post.
    >>>>>>>>> Como não altera irmão! Está beirando a ignorância hein? Se disse que nunca dizemos esta prerrogativa asna todo o resto é invalidado meu caro! Fato é como disse antes, que todos que recebermos a CRISTO somos feitos sacerdócio real dELE na Terra, não tem nada a ver com espirito evangélico! Isso não existe! Fraude pura!
    ***** Perdoe-me minha ignorância, mas creio que o autor do post citou “espírito evangélico” para diferenciá-lo do Espírito Santo, que com certeza não são os mesmos, pois como disse anteriormente, o Espírito Santo não se contradiz como o espírito do Livre Exame protestante que age nas mais variadas seitas, gerando várias interpretações distorcidas, como a sua.

    ***** Ninguém disse que a Fé é dispensável, mas não unicamente essencial, afinal, o Lúcifer também crê em Cristo, tanto crê que faz de tudo para perder as almas, mas nem por isso está salvo.
    >>>>>>>>> Muito menos dizemos o que seu tópico fraudulento diz! Que basta-nos crer em JESUS para sermos salvos. FRAUDE!
    ***** Então o que dizer da Sola Fidei? “crê firmemente e peca à vontade”! Que fraude dos ensinamentos de Cristo!

    ***** “E se possuir o dom da profecia e conhecer todos os mistérios e toda a ciência e alcançar tanta fé que chegue a transportar montanhas, mas, se não tiver caridade, nada sou”. (1Cor 13,2)
    >>>>>>>>> Lindo! Perfeitamente! A Palavra diz que a fé sem obras é morta! É isso meu caro o que digo ali em cima (OBRAS CRISTAS- CONSEQUENCIA DA FÉ EM CRISTO E NAO O CONTRÁRIO – Rm 11:6 – Rm 3:24). As obras devem obrigatóriamente ser conseguências da fé! Mas ainda assim, caso alguém aceite JESUS em seu leito de morte, segundo a Palavra este será aceito e recebido nos céus, assim como o ladrão da cruz, sendo assim as obras não é obrigatória caso fosse o ladrão iria para o inferno. Mas caso se viva para CRISTO, sua fé sem fazer as obras que ELE fez é morta, e vc será julgado por isso! Mais uma FRAUDE!!
    ***** Chegamos a um consenso neste ponto então: Fé sem obras é morta e “sola fidei” [somente a fé] não é suficientemente necessária. Mas note que o “bom ladrão” foi salvo pelo seu batismo. O batismo de intenção, uma das três formas da qual recebemos os frutos do Sacramento do Batismo. O batismo de sangue (martírio), o batismo de intenção (o caso do bom ladrão, que não teve oportunidade de recebê-lo convencionalmente), e o batismo na água (convencional).

    ***** O pão e o vinho não poderiam ser Jesus!? E por que não? Ele mesmo disse: “Isto é o meu corpo” (Lc22, 19b) e “Isto é o meu sangue” (Mc14, 24). Isso é muito duro pra você? “Quereis vós também retirar-vos?” (Jo6, 67). Nosso Senhor Jesus não é do tipo “faz de conta que é o meu corpo e faz de conta que é o meu sangue”! Não! Não, não e não! Ele não é faz de conta, Ele mesmo afirma: “Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida” (Jo6, 55). Verdadeiramente, e não “faz-de-contamente”! Sacrilégio é esta baboseira que você falou!
    >>>>>>>>> Perfeitas descontextualizações. Típico de um católico!! Vc nunca ouviu falar em fig. de linguagens? A Bíblia está cheia de metáforas, mentonimia, etc. É o cúmulo! Falta de leitura e estudo, preferem colocar goela a baixo o q os ‘mestres’ catolicos dizem, antes mesmo de buscar a verdade por sí só com a ajuda do ES, que creio ser suficiente visto q é DEUS e que a Palavra diz que ELE sim nos ensinará e nos fará lembrar da Palavra de DEUS, mas pra vcs nao né? Realmente sua carne era verdadeiramente comida e bebida, pois se tratava de pão e vinho [Olhar Católico: então o pão era corpo e o vinho era sangue e agora não são mais?], comida, caso contrário, fosse carne e sangue seria uma péssima experiência! rs. Visto que carne crua e sangue nao sao vistos como comidas saboreosas né, observe até que há mandamentos inclusive no NT para não comermos carne com sangue! Interessante! Meu caro, não seja extremamente literal e ingênuo. Várias outras passagens existem mais respaldo para isso que esta e vcs concluem que não se pode literalizar as mesmas! Esta não pode simplesmente proceder desta forma devido algumas objeções insolúveis! Por exemplo, CRISTO não está morto amado! Está VIVO!! É inaceitável que tenhamos que comer de sua carne e sangue mortos quando ELE está vivo! [Olhar Católico: foi o mesmo que se perguntaram os judeus: “Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne” (Jo6, 52b)] Não percebe que há uma falta de sabedoria e muita incoerência na interpretação deste memorial? Por que será que eu tb quando comia o biscoito nunca senti o sabor de carne e sangue? RS
    ***** Nosso Senhor Jesus Cristo tem poder sobre seu corpo: “Jesus veio a eles, caminhando sobre o mar” (Mt14, 25), e não fez isto só para surpreender os apóstolos (Ele tinha mais o que fazer), mas para provar isto. Nosso Senhor tem poder sobre o vinho: “… Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho…” (Jo2, 9), e com isto “Manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele” (Jo2, 11b). Nosso Senhor tem poder sobre o pão: “Recolheram do que sobrou doze cestos cheios de pedaços” (Mc6, 43). Estaria Nosso Senhor apenas fazendo espetáculos, shows? Claro que não! Acaso comer apenas um “biscoito” pode causar condenação? Blasfemo! “Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação” (1Cor11, 29)!

    ***** Aonde? Em Jo20, 23? “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”(Jo20, 23)?
    >>>>>>>>> Olha a descontextualização dinovo!!! Se pegarmos uma passagem do AT que diz que devemos matar os adulteros assim vc faria? Não e por que? Por que vc tem uma ordenança de amar os pecadores e não julgar e não ferí-los. Constatamos ae uma contradição? Não, é simples entendimento da Palavra. Se vc pegar esta passagem e confrontá-la com outras com Is 43:25, Jr 31:34 e Mc 2:7, Lc 5:21 percebemos que só DEUS perdoa pecados, por meio de CRISTO (Jo 14:6, 13-14, 1Tm 2:5). Devemos buscar o único Advogado que possuimos para isso! (I Jo 2:1-2). Sendo assim, há clara constatação de que esta passagem não pode ser de fato o que vc deseja que seja! Finalizando, ela compreende o que mesmo é dito em várias outras como estas: ‘E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores … Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas’ (Mt 6:12-15) e Cl 3:13. Portanto o texto é interpretado exatamente desta forma, pois todos carecemos da glória de DEUS, somos pecadores assim como qualquer outro. Como poderíamos perdoar um pecado que se é cometido contra DEUS (Mc 2:1-10, Cl 2:13, 1Jo 1:9, 2:12)? Incoerência pura, digna de quem não busca estudar a Palavra. E outra, me mostre uma só referência onde os apóstolos perdoavam pecados dos fiéis.
    ***** Então, segundo o espírito que lhe anima, Nosso Senhor estava apenas “brincando” de dar instruções aos Apóstolos, como estava “fazendo-de-conta” na instituição da Eucaristia. Depois eu e que descontextualizo! A Cristo todo poder foi dado e Ele não teria a capacidade de transferir este poder aos seus ministros? É claro que não! Do contrário não faria isto: “Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos” (Jo20, 21-23). Assim como Nosso Senhor Jesus foi enviado pelo Pai, e Ele também perdoou pecados (confira Mt9, 6, etc.), da mesma forma Ele envia os Apóstolos, não todos os que o seguia, mas apenas os Apóstolos, logo, quem recebe aos Apóstolos, ou seus sucessores, recebe a Cristo (Mt10, 40) e quem recebe deles o perdão dos pecados de Cristo é que recebe. Receberam os Apóstolos este maravilhoso dom e o enterraram? Claro que não, prova disto é que até hoje temos o Sacramento da Confissão! Graças a Deus!

    ***** Opa, então você é a favor do celibato? Que bom!
    >>>>>>>>> Opa. Lei não! Deixei de observar isto. De fato, o celibato é algo que é decisão pessoal. Não imposta como a romana faz. Temos visto o que esta imposição tem ocasionado não é? A Palavra é que os bispos devem possuir uma só mulher! e pronto. Isto já é ordenança. Obedece vc a DEUS ou a homens?
    ***** Realmente, o celibato tem ocasionado muita santidade na Igreja! Poderia citar muitos exemplos, mas apenas dois são suficientes: Nosso Senhor Jesus Cristo e São Paulo. Procuro sempre obedecer a Deus e aos homens postos por Ele como meus superiores.

    ***** Melhor! Então você acredita que o Matrimônio é um Sacramento instituído pelo Cristo. Que bom, então significa que você vai entender direitinho o que quis dizer no item 6.
    >>>>>>>>> Disse que é falso, pois nunca ouvi isso. De fato não acredito que fora JESUS quem instituiu o matrimonio. Mas nunca busquei uma verdade referente a isto. Mas me diga, onde q o item 6 há referencias a isto?
    ***** Ora, o Matrimônio é indissolúvel assim como a união de Cristo e a Igreja. O próprio Jesus afirma que: “mas, no princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher; e os dois não serão senão uma só carne. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus uniu.” (Mc10, 6-9)

    ***** É? Então mostre.
    >>>>>>>>> Filho, eu busquei a verdade que é CRISTO! Busque vc a sua! Já estou dando alguns toques. Não preciso de maria nao! Ela deve ter sido uma grande mulher. Um dia terei o privilégio de a conhecer mas nao exaltá-la e adorá-la. Isso nunca!
    ***** Note que muitas destas suas “verdades” não são tão verdadeiras. Agradeço os “toques”, não que eles tenham me ajudado, mas creio que será interessante para os próximos leitores (se tiverem paciência de lerem até aqui) para que não caiam nos velhos erros protestantes. Quanto a Santa Maria, não a adoro, e alguém já a exaltou antes de mim, Cristo Nosso Senhor ao vir fecundar o Seu Santo Ventre, por obra do Espírito Santo, o que faço é apenas aceitar e reconhecer isto.

    ***** Não aceitá-los como intercessores junto a Cristo é dizer que somos dignos de Cristo, o que não o somos.
    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!
    >>>>>>>>> Quer dizer que CRISTO nao é o suficiente para advogar por nós junto ao PAI?!? Que tremendo! Maravilhoso isso! Uma pergunta: Maria e os santos são oniscientes? Sim, pq para eles intercederem pelos nossos pedidos eles precisam nos ouvir, ou será q tem anjo correio, q entrega as mensagens para seus respectivos santinhos? Bom irmao, isso é algo que foge em larga escala ao q a Palavra diz. Filhinho amado do PAI, se vc diz que precisamos dos santos, vc está dizendo que JESUS nao é suficiente para responder nossos pedidos e orações meu caro! Será que vc não enxerga isso? A argumentação q fez é invalidada. Que eu saiba JESUS é misericordioso e isso faz com que esta falácia ae caia por terra! A graça é imerecida por nós, mas ainda assim ELE nos-la concede, sendo assim, pelo mesmo argumento poderia dizer que já que não somos dignos, que DEUS veio fazer por nós foi em vão. Oh JESUS! Engraçado também é q a Palavra nos diz que devemos orar ao PAI em nome de JESUS! Jo 16:23 ‘E naquele dia nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar.’ Meu caro, se JESUS diz que é para orar e fazer pedidos ao PAI em Seu nome é isso que devemos de fazer! Vc fazendo mais que isso, estará dizendo que a intercessao de JESUS é insuficiente e não é!
    ***** Para finalizar, quanto a intercessão dos santos questionada por você transcrevo as seguintes palavras e logo depois sua fonte (peço, por favor, que leia até o final, é bem esclarecedor):
    [Jesus Cristo é Deus e homem, ao mesmo tempo, na sua única Pessoa, a do Filho de Deus, segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Sendo Deus, ele tinha mérito infinito. Sendo homem, Ele assumindo a culpa dos pecados dos homens, poderia pagá-los. E Cristo pagou os nossos pecados, morrendo na cruz. E Ele morre de novo, misticamente e não mais cruelmente, em cada Missa, pagando os nossos pecados. Por isso Jesus Cristo é o nosso único Redentor. São os seus méritos infinitos que nos conseguem todas as graças que recebemos que, por isso, são chamadas “graças de Cristo” (Gratiae Christi).
    Creio que deixei bem claro, para você, o que significa que Cristo é nosso único Redentor, nosso único intermediário de necessidade absoluta.
    Se tudo isto é verdade, também é certo que Cristo quis vir ao mundo por meio do povo judeu e por meio de Maria Virgem.
    É também certo que Cristo quis que sua doutrina nos fosse ensinada pelos seus Apóstolos. Ele poderia ter vindo ao mundo sem ser por intermédio de Maria, como poderia nos ensinar diretamente. Não quis assim.
    Quis vir a nós por meio de Maria Virgem, e quis que fossemos instruídos por Pedro, pelos Apóstolos, e por seus sucessores legítimos.
    Logo, Maria Virgem, os Apóstolos e seus sucessores nos são intermediários não por necessidade absoluta, mas porque Deus quis assim. Ele quis e quer usar intermediários secundários. São intermediários por vontade de Deus. São intermediários por necessidade hipotética. Necessidade hipotética quer dizer que eles são necessários só porque Deus quis utilizá-los como intermediários. Dai a intercessão de Maria Santíssima e dos santos. E isto é inteiramente de acordo com a Sagrada Escritura que em muitos lugares nos fala de intermediários de necessidade relativa. isto é, intermediários colocados por Deus, por que Deus quis usá-los como intermediários.
    Dou-lhe alguns exemplos: No livro de Jó se lê que Deus disse aos amigos de Jó que o recriminavam injustamente:
    “Tomai, pois, sete touros e sete carneiros, ide ao meu servo Jó e oferecei um holocausto por vós, e o meu servo Jó orará por vós; admitirei propício a sua intercessão para que não se vos impute essa estultícia”
    (Jó, XLII, 8).
    Portanto, Deus colocou Jó como intermediário entre Ele e os amigos de Jó.
    Outro exemplo é o de Abraão que intercedeu por Sodoma, e Deus aceitou a sua intercessão (Gen. XVIII, 26-32).
    Também Lot intercedeu por Segor (Gen XIX, 21). E o próprio Deus disse a Abimelec:
    “Agora, pois, entrega a mulher a seu marido, porque ele [Abraão] é profeta; e rogará por ti e tu viverás” (Gen XX, 7).
    Portanto, Deus anuncia que Abraão será intercessor por Abimelec e que Deus, por isso, o atenderá.
    E no livro dos Números se lê que Moisés intercedeu pelo povo e que Deus o atende:
    “Entretanto levantando-se uma murmuração do povo contra o Senhor, como de quem se queixava de fadiga. O Senhor, tendo ouvido isso, irou-se. E o fogo do Senhor, aceso contra eles, devorou uma extremidade do acampamento. O povo tendo chamado Moisés, Moisés orou ao Senhor e o fogo extinguiu-se” (Num. XI, 1-3).
    E quando Israel combatia, se Moisés intercedia pelo povo, Deus dava a vitória às armas de Israel:
    “E quando Moisés tinha as mãos levantadas, Israel vencia, mas se as abaixava um pouco, Amalec levava vantagem” (Ex. XVII, 11).
    E Mais. Moisés intercede pelo povo a Deus recorrendo aos méritos de Abraão, Isaac e Jacó.
    “Lembra-te de Abraão, de Isaac e de Jacó, teus servos, a quem por ti mesmo juraste” (Ex. XXXII, 11).
    No Novo Testamento você poderá ler que os dois primeiros milagres de Cristo foram feitos a rogo de Nossa Senhora, por intercessão da Virgem Maria.
    O primeiro milagre de Cristo, na ordem da graça foi o perdão do pecado original em São João Batista, antes que ele nascesse.
    Quando a Virgem Maria logo depois da encarnação de Cristo, foi visitar sua prima Santa Isabel, foi só ouvir a voz de Maria para que fosse feito um milagre em São João Batista no seio de Santa Isabel:
    “Aconteceu que, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Exclamou ela em alta voz e disse: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto de teu ventre. Donde me vem a mim esta dita, que mãe de meu Senhor venha a ter comigo?” (Luc. I, 41-44).
    E o primeiro milagre de Cristo na ordem natural foi a transformação da água em vinho em Caná da Galiléia, milagre que Ele fez a pedido da Virgem Maria (Jo. II, 1-10).
    Deus faz assim porque quer que nos amemos mutuamente por amor de Deus, e peçamos e intercedamos uns pelos outros as graças de que temos necessidade.]
    Fonte:
    Fedeli, Orlando – “Intercessão dos Santos”
    MONTFORT Associação Cultural
    http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20040821162132
    Online, 13/07/2009 às 17:39h

  15. Marcos Says:

    Minhas respostas estão após os:
    >>>>>>>>>

    graça e paz do SENHOR JESUS.

  16. Marcos Says:

    Caro irmão Diego, não creio que tenha engulido a resposta sobre o celibato que lhe deram ae.

    Visto que não há condição alguma para os sacerdotes católicos escolherem pelo não ser celibatário e ao mesmo tempo ter suas funções eclesiásticas. Não há condições de opção pela ICAR, do contrário a Palavra declara que seja por opção pessoal de cada um e não imposto por uma instituição como é o caso.

    São obrigados sim, se não fossem, todos estes casos de pedofilia e casos amorosos envolvendo sacerdotes católicos não existiriam!!!

    Ainda que eles escolheram por opção própria seguir esta ordenanção, não lhes são possíveis optar por não serem celibatários!

    Olhar Católico:
    Ora meu caro, quem opta pelo Sacerdócio não sabe depois que têm que manter o Celibato. Quem opta ser Sacerdote, sabe que será celibatário! Isto é óbvio! Ora, Nosso Senhor Jesus Cristo também permaneceu virgem e nem por isso foi pedófilo! Ou você interpreta a passagem “deixai vir a mim as criancinhas” de outro modo? Tornam-se celibatários, mas não se tornam “anjos”, e estão passíveis de cair em pecado e isto não justifica acabar com o celibato. Quer dizer que se alguém não consegue jejuar por ser fraco ninguém mais pode jejuar por que é um fardo muito pesado? Claro que não! Assim como alguém só jejua se quiser, não é obrigado a isto.
    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!

  17. Marcos Says:

    >>Marcos:
    Novamente Diego, lhes responderam uma falácia daquelas ae… rsrs
    olhar zarolho disse:
    ‘Então Maria é Mãe de Jesus, que é Deus, logo Maria é Mãe de Deus.’
    aaahhh é, se matar é pecado (Ex 20:13) e quem matar é homicida (Nm 35:16), e se DEUS matou (Gn 38:7), então DEUS é pecador!
    Olha que tremendo hein?!? Isso é o mesmo que poderíamos dizer negando-se o contexto bíblico, assim como nosso amigo ae fizera!
    Caro amigo zarolho, existe uma palavra que vc parece não conhecer, hermeneutica. Nada que fale pode ir de contra à Palavra de DEUS, vc dizer que maria é mae de DEUS, é desconsiderar todas as referencias de que se é dito que DEUS é o alfa e o ômega como já fora dito. Nisto não há possibilidades de se fazer uma declaração como esta!
    graça, amor e paz do único suficiente e capaz de nos satisfazer, CRISTO JESUS, o SENHOR!!!

    >>Olhar Católico:

    Prezado Marcos, a paz de Jesus e o amor de Maria, Mãe do meu Senhor (Lc1, 43)!
    De antemão peço desculpas pela demora em aprovar os comentários.

    Mas vamos então ao seu raciocínio. Utilizaremos a mesma lógica que eu utilizei e que você utilizou para dizer que “Deus é pecador”.

    Maria não é Mãe de Deus (afirmação protestante), Maria é Mãe de Jesus (Bíblia), logo Jesus não é Deus (arianismo ou “marquismo”).

    Hermenêutica: “ciência da interpretação só se desenvolveu mais formalmente a partir do século III, com os tratados de Tertuliano, Clemente de Alexandria, São João Crisóstomo, São Jerônimo e Santo Agostinho, para citar apenas alguns” (Liborio, Marcos – Omitidor David ataca a doutrina da presença real de Cristo na Eucaristia).

    Afirmar Maria como Mãe de Deus não contraria o fato d’Ele ser o Alfa e o Omega. É claro que Nossa Senhora não gerou a alma de Nosso Senhor Jesus Cristo, porém Maria é Mãe da pessoa de Cristo, que tem duas naturezas: divina e humana. Maria é Mãe da Pessoa de Cristo, que é Deus, por tanto Maria é Mãe de Deus. Tão simples que Santa Isabel percebeu com apenas um olhar o que protestantes negam há séculos: “Mãe de meu Senhor” (Lc1, 43), e note que ela estava cheia do Espírito Santo!

    Que Deus nos abençoe e Maria nos guarde!
    Moisés Gomes de Lima
    Cedro-Ce, 28 de julho de 2009.

    >>Marcos:

    Meu caro irmao,
    acho q vc não sacou!!! rsrs… eu justamente desmereci esta lógica. Ou vc não percebeu?
    Por isso, nada me disse ao querer desfazer da que fiz, q é ilógico também. Nunca diria que DEUS é pecador meu caro!!! Aquela lógica é falsa, pq sua conclusão fere as verdades bíblicas sobre DEUS. Assim como o meu, e o seu atual raciocínio são ilógicos, assim o é tb o de maria ser mãe de DEUS!

    foi dito: “Afirmar Maria como Mãe de Deus não contraria o fato d’Ele ser o Alfa e o Omega. É claro que Nossa Senhora não gerou a alma de Nosso Senhor Jesus Cristo, porém Maria é Mãe da pessoa de Cristo, que tem duas naturezas: divina e humana.”
    Meu DEUS!!! Como que não contraria? Se DEUS é o principio e o fim, o alfa e o ômega, é pq nada poderia vir antes dELE, logo a afirmação de que Maria é mãe dELE é inconcebível! Ela teria que vir antes dELE. Caro, entenda que uma verdade nunca deve anular outra verdade bíblica, e se esta anula, é pq não é verdade!

    E outra, já que CRISTO tem duas naturezas, sigamos com este conceito e separemos exatamente quem é genitor(ra) de cada uma delas:
    – natureza divina: ESPIRITO SANTO (DEUS)
    – natureza humana: Maria

    foi dito: “Maria é Mãe da Pessoa de Cristo, que é Deus, por tanto Maria é Mãe de Deus.”

    Dinovo postou essa falácia? Vc mesmo assumiu que a lógica é falsa, se decide!

    foi dito: “Tão simples que Santa Isabel percebeu com apenas um olhar o que protestantes negam há séculos: “Mãe de meu Senhor” (Lc1, 43), e note que ela estava cheia do Espírito Santo!

    sério?!? rsrs
    De fato, Maria era mãe de JESUS meu caro!! Afinal ELE veio ao mundo pelo ventre dela! E é assim que Isabel, como qualquer outra pessoa iria pensar sobre ela. Aferir que Isabel afirmou que Maria é mãe de DEUS apenas com esta passagem é algo totalmente inconcebível!!!

    graça e paz

    >>Olhar Católico:

    Você repete à exaustão que Maria não pode ser mãe de Deus porque Deus não pode ser gerado, que Deus não nasceu de Maria, pois somente quando Cristo nasceu é que Deus “se encarnou”. Maria não pode ser mãe de Deus porque Deus já existia antes de Maria gerar Cristo.

    Belas conclusões, sábias palavras, pena que atiradas para derrubar apenas um espantalho, que não existe.

    Não confunda Caro Marcos. Eu disse que Maria é Mãe da Pessoa de Cristo, e não da Alma de Cristo. Com base em que você afirma o seguinte?:

    E outra, já que CRISTO tem duas naturezas, sigamos com este conceito e separemos exatamente quem é genitor(ra) de cada uma delas:
    – natureza divina: ESPIRITO SANTO (DEUS)
    – natureza humana: Maria

    Quem gera infinitamente o Filho é Pai, não o Espírito Santo, Este por sua vez é o Amor entre o Pai e o Filho.
    Sua mãe, por exemplo, gerou apenas apenas o seu corpo, mas ela não é mãe apenas de seu corpo, ela é mãe da sua pessoa. Pessoa, que não é apenas o corpo, mas sim o corpo e a alma. Note que apesar de sua mãe não ter gerado sua alma, você a tem (eu acho) como mãe.

    Não se pode separar a Natureza Humana de Cristo de sua Natureza Divina, elas não se separam, e estão e são unidas (Nosso Senhor Jesus Cristo não subiu ao Céu só com sua Natureza Divina ou só com sua Natureza Humana).

    Santa Maria, Mãe de Deus, é Mãe do de Cristo, que logicamente não gerou sua Alma, como a sua mãe não gerou a sua. Repito, assim como sua mãe é “sua mãe”, ou seja, mãe da sua pessoa, assim também Nossa Senhora é Mãe da Pessoa de Cristo, que é uma das Pessoas da Santíssima Trindade, que é Deus. Ela é Mãe de Deus! Filha bem amada do Eterno Pai, Mãe admirável do Filho e Eposa mui fiel do Espírito Santo, Templo Augusto da Santíssima Trindade!

    Você disse: Dinovo postou essa falácia? Vc mesmo assumiu que a lógica é falsa, se decide!

    Em nem um momento disse isto. Disse que a sua interpretação é que é equivocada.

    De fato, Maria era mãe de JESUS meu caro!! Afinal ELE veio ao mundo pelo ventre dela! E é assim que Isabel, como qualquer outra pessoa iria pensar sobre ela. Aferir que Isabel afirmou que Maria é mãe de DEUS apenas com esta passagem é algo totalmente inconcebível!!!

    Totalmente inconcebível, mas você não diz em quê! Acaso o Senhor de Santa Isabel seria apenas um homem qual quer? Não seria Deus o seu Senhor? Então Maria é Mãe do Senhor, mas não é Mãe de Deus? Isto é que é inconcebível. O Espírtio Santo declara Maria como Mãe do Senhor, pelos lábios de sua prima Santa Isabel e o senhor Marcos acha isto inconcebível!


Comentários encerrados.

FSSPX - Portugal

Tudo por amor a Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Movimento Magistrados para a Justiça

"Uma visão conservadora de temas relacionados ao Direito"

O Legado d'O Andarilho

opiniões, considerações políticas e religiosas.

Roberta Acopiara's Blog

Just another WordPress.com weblog

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

pregarevangelho

Só mais um site WordPress.com

:.:Paródias da Professora Décia:.:

Paródias de uma professora cedrense!

Fratres in Unum.com

Ecce quam bonum et quam jucundum habitare fratres in unum.

Compartilhar é preciso.

Sinta-se livre para conhecer, aprender e compartilhar

§|Olhar Católico|§

Um Olhar Católico sobre o mundo!

Pacientes na tribulação

Apologética católica

Grupo S. Domingos de Gusmão

Fiéis Católicos de Maringá

Missa Tridentina em Brasília

Santa Missa no Rito Romano Tradicional

Vida, dom de Deus

Gratiam tuam, quaesumus, Domine, mentibus nostri infunde; ut qui, angelo nuntiante, Christi Filii tui encarnationem cognovimus, per Passionem eius et Crucem, ad Resurrectionis gloriam perducamur. Per eumdem Christum Dominum nostrum. Amen.

%d blogueiros gostam disto: