“Não mereciam ser ouvidos, pois não procuravam a verdade e a justiça”


Palavras do Bispo Diocesano de Iguatu, D. Edson de Castro sobre o evangelho deste domingo de 07 de abril.

 

Diocese de Iguatu |Alimentar o sonho e o desejo de libertação no exílio da Babilônia significava dar ânimo à esperança de reconstruir o povo e a nação e o culto. Por isso, o profeta, de modo poético, afirma da parte de Deus: “Eis que vou fazer coisas novas e que já estão surgindo: acaso não as reconheceis? Pois abrirei uma estrada no deserto…” (Is 43, 19).

Abrir estrada significa alimentar a profecia em ato, a esperança da libertação possível e o futuro próximo. Por isso, é necessária a advertência: “Não relembreis coisas passadas, não olheis para fatos antigos” (v. 18), ainda que fossem a abertura do mar e a passagem dos hebreus a pé enxuto. O povo se ergueria, agora, olhando para frente, mesmo diante das dificuldades, pois Deus já faz uma realidade nova, no deserto: “correr rios na terra seca” (v. 20). O Deus da vida recria. O Deus da Aliança dá de beber ao seu povo sedento (v. 20).

Jesus também abriu um novo caminho para a mulher surpreendida em adultério (Jo 8,1-11). Colocando-nos na cena como observadores, unimo-nos às pessoas reunidas em torno de Jesus. Para seus ouvintes, Ele abre um novo caminho de compreensão. Sentado e ensinando, Jesus comporta-se como mestre (v. 2). Se entrarmos na cena, acolheremos seu ensinamento que abre para nós um caminho novo de aceitação da lei nova: “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” (Jo 15, 12).

Os mestres da lei e os fariseus trouxeram a mulher adúltera. Colocam-na no meio deles. A cena constrange a mulher posta no centro dos olhares. Será julgada ou melhor já está condenada à morte pelo apedrejamento, segundo a aplicação da lei antiga que os presentes conheciam bem e os acusadores defendem.

Na verdade, quem está em uma espécie de tribunal é Jesus e seu ensinamento e atitudes para com os pecadores. O evangelista desmascara a perfídia dos mestres da lei e dos fariseus na pergunta: “Que dizes tu? Perguntavam apenas para experimentar Jesus e terem motivo de o acusar” (v. 5-6).

Tratava-se de uma farsa, de um pretexto legal. Talvez por isso, Jesus inclinou-se e começou a escrever com o dedo no chão. Parecia ignorá-los. Não mereciam ser ouvidos, pois não procuravam a verdade e a justiça. Eram apenas acusadores com outras intenções. Enfim, Jesus se ergue, pois persistiam em interroga-lo. Responde envolvendo os próprios acusadores: “Quem não tiver pecado seja o primeiro a atirar-lhe a pedra” (v. 7). Subitamente, passam a ser juízes de si mesmos, da própria consciência. Por isso, todos se retiram a começar dos mais velhos.

O final da cena é igualmente surpreendente. O mestre dialoga e não julga. Diz: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou? … Eu também não te condeno” (v. 10-11). Não compactua com o pecado, mas dá uma nova oportunidade para a adúltera. Abre-lhe um caminho novo: “podes ir e, de agora em diante, não peques mais” (v. 11).

Abrir caminhos é a meta do discípulo libertado do farisaísmo hipócrita e do legalismo acusador. Abrir caminhos é possibilitar mudanças na vida das pessoas que erram, sem acusa-las, julgá-las  ou humilhá-las. Abrir caminhos é a arte de facilitar a recuperação de quem precisa ou pede ajuda. Abrir caminhos é oferecer oportunidades de vida nova a quem peca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

PSL Cedro

Deus acima de tudo e Cedro para todos!

FSSPX - Portugal

Tudo por amor a Jesus Cristo, Nosso Senhor.

O Legado d'O Andarilho

opiniões, considerações políticas e religiosas.

Roberta Acopiara's Blog

Just another WordPress.com weblog

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

pregarevangelho

Só mais um site WordPress.com

:.:Paródias da Professora Décia:.:

Paródias de uma professora cedrense!

Fratres in Unum.com

Ecce quam bonum et quam jucundum habitare fratres in unum.

Compartilhar é preciso.

Sinta-se livre para conhecer, aprender e compartilhar

§|Olhar Católico|§

Um Olhar Católico sobre o mundo!

Pacientes na tribulação

Apologética católica

Grupo S. Domingos de Gusmão

Fiéis Católicos de Maringá

Missa Tridentina em Brasília

Santa Missa no Rito Romano Tradicional

Vida, dom de Deus

Gratiam tuam, quaesumus, Domine, mentibus nostri infunde; ut qui, angelo nuntiante, Christi Filii tui encarnationem cognovimus, per Passionem eius et Crucem, ad Resurrectionis gloriam perducamur. Per eumdem Christum Dominum nostrum. Amen.

%d blogueiros gostam disto: