“A Virgem participou do mistério pascal, no sofrimento, estando de pé junto à cruz”


Palavras do Bispo Diocesano de Iguatu, D. Edson de Castro sobre o mês de maio.

Nossa_Senhora

Diocese de Iguatu |O mês de maio é dedicado a Maria pela devoção popular por gestos de piedade filial como a recitação do rosário, a ladainha e a coroação de sua imagem. Convém inserir tais atos no tempo pascal como faz a saudação mariana, recitada no lugar do Angelus: “Rainha dos céus, alegrai-vos, aleluia! Pois o Senhor que merecestes trazer em vosso seio, aleluia, ressuscitou como disse, aleluia. Rogai a Deus por nós, aleluia”.

A Virgem participou do mistério pascal, no sofrimento, estando de pé junto à cruz, e na alegria das aparições, acolhendo o testemunho dos discípulos, dos apóstolos e especialmente das discípulas, que “voltaram do túmulo, anunciaram tudo isso aos Onze, bem como a todos os outros” (Lc 24,9). Ela vivenciou esse clima das aparições, inserida na Igreja nascente.

As Escrituras não dizem que Jesus Ressuscitado apareceu a sua Mãe. É possível supor, pois, que apareceu a vários não nomeados (1Cor 15, 5-8). No entanto, Santo Inácio de Loyola pôs na quarta semana dos seus Exercícios Espirituais como primeira contemplação: como Cristo nosso Senhor apareceu a Nossa Senhora em primeiro lugar. A imaginação criativa iluminada pela fé extasia-se no encontro da Mãe com o Filho. Excelente e proveitosa meditação!

Envolvida pelas alegrias pascais, a Virgem permaneceu junto aos apóstolos e discípulas, reunidos em oração no domingo de Pentecostes (At 1, 13-14). Aguardavam a promessa do Pai, o batismo com o Espírito Santo (At 1, 4-5). Com uma graça especial de intimidade com o Ressuscitado e com a nova recepção do Espírito Santo, ela conheceu de modo pleno o significado de tudo o que aconteceu em sua vida (cf. Jo 14, 26). Pode, agora, realizar sua solicitude materna em relação aos membros da Igreja recebidos como filhos e filhas.

Além de tudo, a verdade da Assunção afirma a glorificação de Maria em Cristo. Pio XII declarou que ”a Imaculada Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, depois de terminar o curso de sua vida terrena, foi elevada em corpo e alma à glória do céu”. Participa, portanto, da plenitude da Páscoa da ressurreição e reina com Cristo na glória.

O corpo de Maria é glorificado à semelhança do corpo de Jesus Ressuscitado. Para seu corpo feminino, vale o emprego das imagens, utilizadas por Paulo, para exprimir a novidade e a peculiaridade de todo corpo, transformado ou transfigurado: incorruptível, reluzente de glória, cheio de força, espiritual (1Cor 15, 42-44).

Celebrar a Páscoa de Cristo com a Páscoa de Maria é louvar a ambos e expressar o desejo da nossa “esperança da glória de Deus” (Rm 5, 2), sobre a qual Santo Irineu se referia nos seguintes termos: “a glória de Deus é que o homem viva, e a vida do homem é a visão de Deus”. Segue-se que tudo que fazemos e sofremos em Cristo contribuirá para nossa glorificação quando estivermos face a face ao Mistério.

Neste tempo pascal, pedimos ao Deus que alegrou o mundo com a ressurreição de seu Filho: “concedei-nos, por sua mãe, a Virgem Maria, o júbilo da vida eterna”. Com efeito, nossa esperança não é só para este mundo –que tenhamos dias melhores-  pois, o horizonte se alarga à perspectiva celeste, prêmio e dom, da visão beatífica de Deus.

Diferença de culto–dulia, hiperdulia e latria


Alguns protestantes confundem o culto que os católicos tributam aos santos com o culto que se deve a Deus. Para introduzir o assunto da intercessão dos santos é necessário esclarecer a diferença que existe entre os cultos de "dulia", "hiperdulia" e "latria".
Em grego, o termo "douleuo" significa "honrar" e não "adorar".
No sentido verbal, adorar (ad orare) significa simplesmente orar ou reverenciar a alguém.
A Sagrada Escritura usa o termo "adorar" em várias acepções, tanto no sentido de douleuo como de latreuo, como demonstrarei através da "Vulgata", Bíblia católica original e escrita em latim.
"Tu adorarás o teu Deus" (Mt 4, 10)
"Abraão, levantando os olhos, viu três varões em pé, junto a ele. Tanto que ele os viu, correu da porta da tenda a recebê-los e prostrando em terra os adorou" (Gn. 18,2).
Eis os dois sentidos bem indicados pela própria Bíblia: adoração suprema, devida só a Deus; adoração de reverência, devida a outras pessoas.
A Igreja católica, no seu ensino teológico, determina tudo isso com uma exatidão matemática.

A adoração, do lado de seu objeto, divide-se em três classes de culto:


1.
culto de latria (grego: "latreuo") quer dizer adorar – É o culto reservado a Deus
2. culto de dulia (grego: "douleuo") quer dizer honrar.


3.
culto de hiperdulia (grego: hyper, acima de; douleuo, honra) ou acima do culto de honra, sem atingir o culto de adoração.
A latria é o culto que se deve somente a Deus e consiste em reconhecer nele a divindade, prestando uma homenagem absoluta e suprema, como criador e redentor dos homens. Ou seja, reconhecer que ele é o Senhor de todas as coisas e criador de todos nós, etc.
O culto de dulia é especial aos santos, como sendo amigos de Deus.
O culto de hiperdulia é o culto especial devido a Maria Santíssima, como Mãe de Deus.
Alguns protestantes protestam dizendo que toda a "inclinação", "genuflexão", etc, é um ato eminentemente de "adoração", só devido à Deus.
Já demonstramos, com o trecho do Gênesis, que isso não procede. Todavia, para deixar mais claro o problema, devemos recordar que o culto de "latria" (ou de "dulia") é um ato interno da alma.

A adoração é, eminentemente, um ato interior do homem, que pode se manifestar de formas variadas, conforme as circunstâncias e as disposições de alma de cada um.
Os atos exteriores – como genuflexão, inclinação, etc -, são classificados tendo em vista o "objeto" a que se destinam. Se é aos santos que se presta a inclinação, é claro que se trata de um culto de dulia. Se é a Deus, o culto é de latria.
Aliás, a inclinação pode ser até um ato de agressão, como no caso dos soldados de Pilatos que, zombando de Nosso Senhor, "lhe cuspiram no rosto e, prostrando-se de joelhos, o adoraram" (Mc 15, 19).
A objeção protestante, dessa forma, cai por terra. Ou eles teriam que afirmar que havia uma "adoração" por parte dos soldados de Pilatos, o que é absurdo! Eles simulavam uma adoração (ou veneração ao "Rei dos Judeus), através de atos exteriores, mas seu desejo era de zombaria.

 

Fonte: http://arquidiocesedecampogrande.org.br/arq/formacao-igreja/fe-catolica/2988-diferenca-de-culto-latria-dulia-e-hiperdulia-.html

Frutos do “Livre Exame” Protestante


          

Pra quem não sabe, o livre exame, é uma das teses do herege Lutero, que o mesmo inventou em sua revolta contra a Igreja de Jesus Cristo. Dentre outras teses, e resumidamente falando sobre esta (o livre exame), ele ensina que todo cristão é inspirado pelo Espírito Santo ao ler a Sagrada Escritura, e que não precisa de ninguém que o oriente e que cada interpretação dali retirada é válida (pelo fato deste estar “inspirado” pelo Espírito Santo). Ora, sabemos que o Espírito Santo não se contradiz (isso é impossível para Deus), então por que será que cada denominação protestante (pra dizer seita protestante mesmo) tem sua própria interpretação da Bíblia e cada uma diferente das outras? Será que o Espírito Santo se contradiz, ou será que o espírito que anima a interpretação dos protestantes não é o Santo? E se não é o Espírito Santo, de quem é o espírito que gera dúvidas, erros e divisões?

Continue lendo »

O “crente” que foi pro céu


O “crente” que foi pro céu (cordel)

 

“Tem um “crente” aqui no céu!!!”
E a confusão se deu,
todos perguntavam: “Onde???”
O alerta se ascendeu,
a milícia foi chamada
pra ver onde se escondeu.

 

Logo o Anjo Gabriel,
deu a ordem de prisão,
e a busca e captura
foi em toda direção,
a primeira testemunha
deu-lhes esta descrição:

 

“Ele era baixo e gordo,
tinha um paletó lascado”.
Logo o anjo desenhista
fez um retrato falado,
e no céu distribuiu
com a cara do safado.

 

E os anjos comentavam,
fazendo especulação:
“será o  Edir Macedo?
Ou a bispa Sônia, então?
Ou R.R. Soares,
com a sua enganação?”
Era grande o comentário
no meio da multidão.

 

Disse o apóstolo Paulo:
“aqui não pode entrar
os que são de divisão,
é bom deles se afastar,
esses não servem a Cristo,
existem pra dispersar”. …………………..(Rm 16,17-18)

 

Pedro disse: ”esses indoutos
de Escrituras na mão
pegam os pontos difíceis
fazem deles confusão
distorcendo as Escrituras
pra a própria perdição.” ———(2 Pd 3,16) Continue lendo »

Protestante reconhece a grandeza de Nossa Senhora – MONTFORT


Nome: Simone
Enviada em: 07/11/2003
Local: Recife – PE,
Religião: Protestante
Idade: 22 anos
Escolaridade: 2.o grau concluído

Olá Orlando a paz.

Estive conversando com um amigo meu que é católico, e ele disse algo interessante. Veja: a bíblia fala de muitas pessoas que cometeram erros. Até mesmo de Pedro, quando ele foi repreendido por Paulo por temer os da circuncisão.

Mas, a bíblia não fala sobre erros que maria possa ter vindo a cometer. Fala de muitos, mas com relação a Maria não vemos um registro sequer. Nas igrejas evangélicas fala-se muito nos apóstolos e coisas e tal, mas de maria fala-se pouco. Ela que foi uma mulher maravilhosa, exemplo de serva do Senhor. Um exemplo a ser seguido por todo cristão. Já vi muitas pessoas falarem mas não muuuuito. Ela sempre é lembrada, mas não tanto como outros. Sabe, aborreço-me quando falam que ela foi uma pessoa como outra qualquer. Ela foi especial!

Queria só deixar registrado aqui meu comentário, pois acho que os protestantes deveriam dar mais atenção a uma pessoa tão importante assim.

Fique na santa paz do Senhor.

Simone

RESPOSTA
Muito prezada Simone, salve Maria!Só posso louvá-la por sua carta que revela sua admiração por Nossa Senhora, a Mãe de Deus, e sempre Virgem Maria.

Você veja como o Evangelho conta que o anjo a saudou “Ave cheia de graça, o Senhor é contigo” (Luc., I,28). e note, prezada Simone, que essa e a única vez que um anjo saúda um ser humano. Normalmente, é claro, são os homens que saúdam os anjos, como você sabe que fez Abraão (Gen. XVIII).

E quando Maria foi visitar Isabel, esta a saudou dizendo-lhe:

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto. Donde me vem esta dita que a Mãe de meu Senhor venha ter comigo” (Luc. I,43).

Por isso lhe digo, cara Simone, que a Mãe do Senhor, um dia, vá também até você.

In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli

Discurso aos bispos dos Regionais Sul 3 e 4 da CNBB


Venerados Irmãos no Episcopado,

Dou as boas-vindas e saúdo a todos e cada um de vós, ao receber-vos colegialmente no quadro da vossa visita ad limina. Agradeço a Dom Murilo Krieger as expressões de devotada estima que me dirigiu em nome de todos vós e do povo confiado aos vossos cuidados pastorais nos Regionais Sul 3 e 4, expondo também os seus desafios e esperanças. Ouvindo estas coisas, sinto elevarem-se do meu coração ações de graças ao Senhor pelo dom da fé misericordiosamente concedido às vossas comunidades eclesiais e por elas zelosamente conservado e arduamente transmitido, em obediência ao mandato que Jesus nos deixou de levar a sua Boa Nova a toda a criatura, procurando impregnar de humanismo cristão a cultura atual.

Referindo-me à cultura, o pensamento dirige-se para dois lugares clássicos onde a mesma se forma e comunica – a universidade e a escola –, fixando a atenção principalmente nas comunidades acadêmicas que nasceram à sombra do humanismo cristão e nele se inspiram, honrando-se do nome «católicas». Ora «é precisamente na referência explícita e compartilhada de todos os membros da comunidade escolar – embora em graus diversos – à visão cristã que a escola é “católica”, já que nela os princípios evangélicos tornam-se normas educativas, motivações interiores e metas finais» (Congr. para a Educação Católica, Doc. A escola católica, n. 34). Possa ela, numa convicta sinergia com as famílias e com a comunidade eclesial, promover aquela unidade entre fé, cultura e vida que constitui a finalidade fundamental da educação cristã.

Entretanto também as escolas estatais, segundo diversas formas e modos, podem ser ajudadas na sua tarefa educativa pela presença de professores crentes – em primeiro lugar, mas não exclusivamente, os professores de religião católica – e de alunos formados cristãmente, assim como pela colaboração das famílias e pela própria comunidade cristã. Com efeito, uma sadia laicidade da escola não implica a negação da transcendência, nem uma mera neutralidade face àqueles requisitos e valores morais que se encontram na base de uma autêntica formação da pessoa, incluindo a educação religiosa.

A escola católica não pode ser pensada nem vive separada das outras instituições educativas. Está ao serviço da sociedade: desempenha uma função pública e um serviço de pública utilidade, não reservado apenas aos católicos, mas aberto a todos os que queiram usufruir de uma proposta educativa qualificada. O problema da sua paridade jurídica e econômica com a escola estatal só poderá ser corretamente impostado se partirmos do reconhecimento do papel primário das famílias e subsidiário das outras instituições educativas. Lê-se no artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos do Homem: «Os pais têm direito de prioridade na escolha do gênero de educação a ser ministrada aos próprios filhos». O empenho plurissecular da escola católica situa-se nesta direção, impelido por uma força ainda mais radical, ou seja, a força que faz de Cristo o centro do processo educativo.

Este processo, que tem início nas escolas primária e secundária, realiza-se de modo mais alto e especializado nas universidades. A Igreja foi sempre solidária com a universidade e com a sua vocação de conduzir o homem aos mais altos níveis do conhecimento da verdade e do domínio do mundo em todos os seus aspectos. Apraz-me tributar aqui a mais viva gratidão eclesial às diversas congregações religiosas que entre vós fundaram e suportam renomadas universidades, lembrando-lhes, porém, que estas não são uma propriedade de quem as fundou ou de quem as freqüenta, mas expressão da Igreja e do seu patrimônio de fé.

Neste sentido, amados Irmãos, vale a pena lembrar que em agosto passado, completou 25 anos a Instrução Libertatis nuntius da Congregação da Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da teologia da libertação, nela sublinhando o perigo que comportava a assunção acrítica, feita por alguns teólogos de teses e metodologias provenientes do marxismo. As suas seqüelas mais ou menos visíveis feitas de rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia fazem-se sentir ainda, criando nas vossas comunidades diocesanas grande sofrimento e grave perda de forças vivas. Suplico a quantos de algum modo se sentiram atraídos, envolvidos e atingidos no seu íntimo por certos princípios enganadores da teologia da libertação, que se confrontem novamente com a referida Instrução, acolhendo a luz benigna que a mesma oferece de mão estendida; a todos recordo que «a regra suprema da fé [da Igreja] provém efetivamente da unidade que o Espírito estabeleceu entre a Sagrada Tradição, a Sagrada Escritura e o Magistério da Igreja, numa reciprocidade tal que os três não podem subsistir de maneira independente» (João Paulo II, Enc. Fides et ratio, 55). Que, no âmbito dos entes e comunidades eclesiais, o perdão oferecido e acolhido em nome e por amor da Santíssima Trindade, que adoramos em nossos corações, ponha fim à tribulação da querida Igreja que peregrina nas Terras de Santa Cruz.

Venerados Irmãos no episcopado, na união a Cristo precede-nos e guia-nos a Virgem Maria, tão amada e venerada nas vossas dioceses e por todo o Brasil. Nela encontramos, pura e não deformada, a verdadeira essência da Igreja e assim, através dela, aprendemos a conhecer e a amar o mistério da Igreja que vive na história, sentimo-nos profundamente uma parte dela, tornamo-nos por nossa vez «almas eclesiais», aprendendo a resistir àquela «secularização interna» que ameaça a Igreja e os seus ensinamentos.

Enquanto peço ao Senhor que derrame a abundância da sua luz sobre todo o mundo brasileiro da escola, confio os seus protagonistas à proteção da Virgem Santíssima e concedo a vós, aos vossos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, aos leigos empenhados, e a todos os fiéis das vossas dioceses paterna Bênção Apostólica.

Belo artigo do prof. Orlando – Montfort


Do gol de bicicleta à onipotência suplicante

Orlando Fedeli
 
“La gloria di Colui Che tutto move,
Per l ‘universo penetra e risplende
in una parte più e meno altrove”
 
(Dante, Divina Commedia, Paradiso I, 1-3).
              
“A glória dAquele que tudo move,
pelo universo penetra e resplandece,
numa parte mais e menos noutra”.
 
Esse magnífico terceto com que Dante inicia o primeiro canto de seu Paradiso é um dos mais belos da Divina Comédia e é prenhe de sabedoria. Com efeito, Deus, ato puro, move todas as coisas criadas, concedendo-lhes participação em graus e formas diversas em suas qualidades, fazendo-as passar de potência a ato.
 
Tudo o que se move, isto é, todas as criaturas compostas de ato e potência só podem se mover por uma ação de Deus, ato puro e, por isso mesmo, onipotente, que lhes permite passar de potência de uma qualidade para a posse daquela mesma qualidade em ato, normalmente por meio de uma causa eficiente segunda ou, por vezes, pela ação direta de Deus, causa eficiente primeira.
 
Parece haver uma contradição ao dizer que Deus, ato puro sem potência alguma, é também onipotente. Isto, porém, é correto porque, em Deus, não há potência passiva. Deus não pode receber qualidade alguma, porque possui todas as qualidades em ato e, portanto, tem todas as qualidades em grau máximo, não podendo perdê-las, nem aumentá-las e nem tê-las diminuídas.
 
E como Ele tem todas as qualidades em ato, Ele é capaz de transmitir essas qualidades a outros seres, que tenham potência para recebê-las, em forma e medida variada. Todo ser que tem uma qualidade em ato é capaz de atuar, passando a qualidade que possui em ato a outro ser que tenha potência de recebê-la. Assim, o fogo é quente em ato, e a panela tem potência de ser aquecida. Desse modo, o fogo aquece a panela passando-lhe calor, na medida e na forma em que a panela é capaz de receber essa qualidade.
 
Deus, tendo todas as qualidades em ato em grau absoluto, tem toda potência ativa de transmitir essas qualidades. Por isso Ele é onipotente ativo.
 
Portanto, temos que distinguir potência passiva de potência ativa.
 
Deus não tem nenhuma potência passiva. Deus tem toda potência ativa. Por isso, o Ato puro é Onipotente.
 
Toda potência, por assim dizer, deseja ser atualizada. E o ato, por assim dizer, deseja transmitir sua qualidade ao que está em potência para ela.
 
Ato e potência desejam-se mutuamente. Pode-se dizer, analogicamente, é claro, que o ato ama a potência, querendo passar-lhe um bem, e a potência deseja ser atualizada pelo ato.
 
Assim, é o amor que tudo move.
 
Por isso, o mesmo Dante finaliza a Divina Comédia, dizendo em seu último verso: “Amor che move Il Sol e le altre stelle”.
 
”Amor que move o Sol e as outras estrelas” (Dante, Divina Commedia, Paradiso, XXXIII, 143).
 
É o amor de Deus que tudo move.
 

Não é lícito negar a comunhão na boca


É isso mesmo pessoal!

Negar comunhão na boca é ÍLICITO!

Deus perdoe e tenha mizericórdia do Padre que me negou a comunhão na boca com o pretexto de que, segundo ele “é orientação da igreja”, devido a Gripe Suína.

Ele só não disse de que igreja era esta orientação, pois a Católica Apostólica Romana, Única e Verdadeira de Nosso Senhor Jesus Cristo, fora da qual não há Salvação ensina que não é LÍCITO negar a comunhão na boca.

Já a igreja do Boff e do Betto…

É só clicar neste link para acessar a carta da Congregação para o Culto Divino para um fiel da Grã Bretanha, e logo após a tradução. Este mesmo fiel teve a comunhão negada como eu.

Que o Senhor Jesus, por intercessão de São João Maria Vianey, nos conceda Sacerdotes santos e fiéis a Igreja.

 
 
 
 
A paz de Jesus e o amor de Maria!
Moisés Gomes de Lima
Catequista, por Misericórdia do Senhor!
Paróquia de S. João Batista – Cedro/CE
Diocese de S. José – Iguatu/CE
blog.olharcatolico@gmail.com
moisesgomeslima@gmail.com
“A concórdia não é uniformidade de opiniões, mas concordância de vontades” (S. Tomas de Aquino).

CPI do Aborto – DIVULGUEM!


A SITUAÇÃO DA DEFESA DA VIDA
sdv@pesquisasedocumentos.com.br

DIFUNDA ESTA MENSAGEM.

EXPLIQUE A SEUS CONTATOS QUE A DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO É NECESSÁRIA PARA A DEFESA DA VIDA.

================================================

IGREJA CATÓLICA PEDE APOIO À INSTALAÇÃO DA CPI DO ABORTO

================================================

APRESENTAÇÃO E RESENHA

O Deputado Luiz Bassuma requisitou a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara dos Deputados para investigar quem está financiando a promoção do aborto no Brasil e qual o envolvimento do governo nesta agenda internacional depois que o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão além de outras declarações, afirmou diante das Câmaras da TV Cultura que, mesmo faltando recursos básicos no sistema de saúde, em caso de aprovar-se a legalização do aborto não haveria necessidade de preocupar-se sobre como financiar a prática de um milhão e meio de abortos por ano, pois não faltariam recursos internacionais para tanto. Pode-se ouvir em aúdio o próprio deputado depondo a respeito na audiência pública realizada na Câmara dos Deputados, na quarta feira dia 10 de outubro de 2007.
http://www.pesquisasedocumentos.com.br/audienciapublica.mp3

Se instalada, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) descobriria facilmente não apenas que há um projeto internacional
interessado em promover o aborto no Brasil mas que, mais ainda, a partir do momento em que chegou ao poder, a cúpula do Partido dos Trabalhadores, contrariando suas próprias bases eleitorais e os interesses que afirma representar, quis transformar-se no principal aliado deste projeto que pretende negar a personalidade jurídica antes do nascimento, remover completamente todos os tipos de aborto do Código Penal, reconhecer o aborto como um novo direito humano e tornar a prática totalmente livre em qualquer momento da gestação.

Por causa desta e de outras atividades em defesa da vida, o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, em julgamento ocorrido no dia 17 de setembro de 2009, condenou por unanimidade os Deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, à suspensão de suas atividades legislativas, acusados de haverem violado gravemente o Código de Ética Partidária por haverem militado contra a descriminalização do aborto.

É o que afirma claramente o comunicado apresentado no site oficial do PT sobre o julgamento, onde se encontra também a íntegra da sentença proferida:

“O DIRETÓRIO NACIONAL DO PT, REUNIDO NESTA QUINTA-FEIRA (17), ANALISOU OS
PARECERES DAS COMISSÕES DE ÉTICA INSTAURADAS CONTRA OS DEPUTADOS
FEDERAIS LUIZ BASSUMA (PT-BA) E HENRIQUE AFONSO (PT-AC). POR
UNANIMIDADE, OS MEMBROS DO DN ENTENDERAM QUE OS DOIS DEPUTADOS
INFRINGIRAM A ÉTICA-PARTIDÁRIA AO “MILITAREM” CONTRA RESOLUÇÃO DO 3º
CONGRESSO NACIONAL DO PT A RESPEITO DA DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO”.

http://www.pt.org.br/portalpt/index.php?option=com_content&task=view&id=81962&Itemid=195

A difusão mundial do aborto nos anos recentes transformou-se em um dos maiores casos de corrupção de toda a história.

As organizações que financiam internacionalmente o aborto não apenas investem milhões de dólares para transformarem a prática do aborto em um novo direito humano, como também, nos países onde suprimir a vida de um ser humano antes do nascimento é definido pela lei como crime, patrocinam também a própria disseminação e a impunidade do aborto
clandestino.

A CPI do aborto, já criada na Câmara no dia 8 de dezembro de 2008, não foi instalada até o momento apenas porque as
organizações que recebem dinheiro do exterior para promoverem o aborto no Brasil estão exigindo dos líderes das bancadas partidárias que não indiquem os deputados necessários para que a Comissão Parlamentar de Inquérito possa começar seus trabalhos.

Neste domingo encerrou-se em Itaici a 31ª Assembléia das Igrejas do Regional I da CNBB. Entre os dias 16 e 18 de
outubro de 2009, 46 Dioceses da Igreja Católica no Estado de São Paulo elaboraram um documento manifestando

“INDIGNAÇÃO PELO ACONTECIDO COM OS DOIS DEPUTADOS”,

denunciando o PT

“PELA ATITUDE DE INTRANSIGÊNCIA E RETROCESSO NA CONSTRUÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO, EM CONTRADIÇÃO COM DIVERSOS DOCUMENTOS INTERNACIONAIS SOBRE DIREITOS HUMANOS E OS PRINCÍPIOS DO EVANGELHO”,

e pedindo

“APOIO À CPI DO ABORTO PARA INVESTIGAR O FINANCIAMENTO DO CRIME DO ABORTO
SUSTENTADO POR INTERESSES ESTRANGEIROS QUE QUEREM IMPOR AO BRASIL E AMÉRICA LATINA A POLÍTICA PERVERSA DO CONTROLE DEMOGRÁFICO”.

Leia a seguir o texto completo da moção.

EM SEGUIDA TELEFONE AOS DEPUTADOS FEDERAIS QUE COMPÕEM A FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA VIDA, EXPLICANDO-LHES COM SUAS PRÓPRIAS PALAVRAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO E PEDINDO-LHES QUE EXIJAM A IMEDIATA INSTALAÇÃO DA COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO SOBRE O ABORTO.

Os mails e telefones dos membros da Frente Parlamentar em Defesa da Vida seguem após o documento de Itaici.

Em uma democracia não se pode tolerar que um dos maiores casos de corrupção da história, envolvendo uma aliança do governo nacional com uma agenda internacional para subverter desde as raízes, o direito humano fundamental à vida, não seja investigado apenas porque os próprios envolvidos estão pedindo para que o assunto seja arquivado.

================================================

MOÇÃO APOIO APROVADA EM ITAICI PELAS 46 DIOCESES DA REGIONAL SUL 1 DA CNBB
Publicação autorizada pela Comissão Regional em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB

================================================

“Na Trigésima Primeira Assembléia das Igrejas Particulares do Regional Sul 1 da CNBB, nós, Povo de Deus, reunidos de 16 a 18 de outubro de 2009 em Itaici, Indaiatuba, SP, viemos a público manifestar nossa indignação diante do sucedido com os
deputados federais Luis Bassuma (PT-BA) e Henrique Afonso (PT-AC), que foram processados, julgados e condenados pela Comissão de Ética de seu partido à pena de suspensão de suas atividades parlamentares, retirados da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados e ainda instados a retirarem todas as suas iniciativas legislativas que defendem e promovem a vida humana.

Os deputados foram punidos por assumirem a defesa do direito humano primário: o direito à vida do inocente indefeso, desde a concepção.

O proceder do Partido dos Trabalhadores, como de qualquer outro partido, que se comporte da mesma forma, demonstra intolerância e desrespeito à liberdade de consciência, garantida pela Constituição Federal, provocando um retrocesso na construção do Estado Democrático, além de violar o direito fundamental à vida desde a concepção, garantido pela Convenção Americana de Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica), homologado pelo nosso Congresso Nacional em 1992, e contrariando frontalmente a a mensagem central do Evangelho.

[…]

Manifestamos nossa solidariedade e apoio aos deputados pelo testemunho exemplar de cidadania e profunda consciência humana e cristã, bem como apoiamos a instalação na Câmara dos Deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Aborto, para investigar a prática do aborto clandestino, sustentado pelo financiamento e interesses estrangeiros, que querem impor ao Brasil e à América Latina a política perversa do controle populacional.

Se quisermos sustentar um fundamento sólido e inviolável para os Direitos Humanos, é indispensável reconhecer que a vida humana deve ser defendida sempre, desde o momento da fecundação (Documento de Aparecida, nº 467)”.

 
========================================================

CORREIO ELETRONICO DA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA VIDA

========================================================

dep.aberladocamarinha@camara.gov.br;
dep.antoniobulhoes@camara.gov.br;
dep.antoniocarlosmendesthame@camara.gov.br;
dep.arnaldofariadesa@camara.gov.br;
dep.bispogetenuta@camara.gov.br; dep.dr.nechar@camara.gov.br;
dep.dr.talmir@camara.gov.br;
dep.franciscorossi@camara.gov.br; dep.joaodado@camara.gov.br;
dep.juliosemeghini@camara.gov.br; dep.lobbeneto@camara.gov.br;
dep.marceloortiz@camara.gov.br;
dep.marciofranca@camara.gov.br; dep.miltonmonti@camara.gov.br;
dep.nelsonmarquezelli@camara.gov.br;
dep.regisdeoliveira@camara.gov.br;
dep.eliseupadilha@camara.gov.br;
dep.joseotaviogermano@camara.gov.br;
dep.luizcarlosbusato@camara.gov.br;
dep.pauloroberto@camara.gov.br;
dep.renatomolling@camara.gov.br;
dep.vilsoncovatti@camara.gov.br; dep.deciolima@camara.gov.br;
dep.joaomatos@camara.gov.br; neutodeconto@senador.gov.br;
dep.alceniguerra@camara.gov.br;
dep.alfredokaefer@camara.gov.br;
dep.andrevargas@camara.gov.br;
dep.chicodaprincesa@camara.gov.br;
dep.eduardosciarra@camara.gov.br; flavioarns@senador.gov.br;
dep.hermespacionello@camara.gov.br;
dep.luizcarloshauly@camara.gov.br;
dep.nelsonmeurer@camara.gov.br;
dep.osmarserraglio@camara.gov.br;
dep.ratinhojunior@camara.gov.br; dep.takayama@camara.gov.br;
dep.alexandresantos@camara.gov.br;
dep.andreiazito@camara.gov.br;
dep.arnaldovianna@camara.gov.br;
dep.carlossantana@camara.gov.br; dep.deley@camara.gov.br;
dep.eduardocunha@camara.gov.br;
dep.filipepereira@camara.gov.br;
francisco.dornelles@senador.gov.br;
dep.geraldopudim@camara.gov.br; dep.hugoleal@camara.gov.br;
crivella@senador.gov.br; dep.nelsonbornier@camara.gov.br;
dep.pastormanoelferreira@camara.gov.br;
dep.rogeriolisboa@camara.gov.br;
dep.silviolopes@camara.gov.br;
dep.solangealmeida@camara.gov.br; gecamata@senador.gov.br;
dep.lelocoimbra@camara.gov.br; magnomalta@senador.gov.br;
dep.manato@camara.gov.br; renatoc@senador.gov.br;
dep.rosedefreitas@camara.gov.br;
dep.ademircamilo@camara.gov.br;
dep.aeltonfreitas@camara.gov.br;
dep.bonifaciodeandrada@camara.gov.br;
dep.carlosmelles@camara.gov.br;
dep.carloswillian@camara.gov.br;
dep.edmarmoreira@camara.gov.br; eliseuresende@senador.gov.br;
dep.georgehilton@camara.gov.br;
dep.geraldothadeu@camara.gov.br; dep.gilmarmachado@camara.gov
dep.joaobittar@camara.gov.br; dep.joaomagalhaes@camara.gov.br;
dep.josefernandoaparecidodeoliveira@camara.gov.br;
dep.leonardomonteiro@camara.gov.br;
dep.leonardoquintao@camara.gov.br;
dep.lincolnportella@camara.gov.br;
dep.marcosmontes@camara.gov.br;
dep.mariodeoliveira@camara.gov.br;
dep.maurolopes@camara.gov.br; dep.miguelcorrea@camara.gov.br;
dep.miguelmartini@camara.gov.br; dep.odaircunha@camara.gov.br;
dep.paulopiau@camara.gov.br;
dep.rodrigodecastro@camara.gov.br;
dep.virgilioguimaraes@camara.gov.br;
dep.vitorpenido@camara.gov.br;
wellington.salgado@senador.gov.br;
dep.colbertmartins@camara.gov.br;
dep.edigarmaobranca@camara.gov.br;
dep.felixmendonca@camara.gov.br;
dep.fernandodefabinho@camara.gov.br; joaodurval@senador.gov.br;
dep.josecarlosaraujo@camara.gov.br;
dep.josephbandeira@camara.gov.br;
dep.luizbassuma@camara.gov.br;
dep.marceloguimaraesfilho@camara.gov.br;
dep.mauriciotrindade@camara.gov.br;
dep.severianoalves@camara.gov.br;
dep.ulduricopinto@camara.gov.br; almeida.lima@senador.gov.br;
dep.jacksonbarreto@camara.gov.br;
dep.jeronimoreis@camara.gov.br; maria.carmo@senadora.gov.br;
dep.beneditolira@camara.gov.br;
dep.givaldocarimbao@camara.gov.br;
dep.eduardodafonte@camara.gov.br;
dep.gonzagapatriota@camara.gov.br;
marco.maciel@senador.gov.br; dep.marcosantonio@camara.gov.br;
dep.silviocosta@camara.gov.br;
dep.damiaofeliciano@camara.gov.br;
dep.luizcouto@camara.gov.br; dep.romulogouveia@camara.gov.br;
dep.vitaldoregofilho@camara.gov.br;
dep.wellingtonroberto@camara.gov.br;
dep.wilsonsantiago@camara.gov.br;
dep.fabiofaria@camara.gov.br; garibaldi.alves@senador.gov.br;
dep.anibalgomes@camara.gov.br;
dep.ariostoholanda@camara.gov.br;
dep.arnonbezerra@camara.gov.br;
dep.eugeniorabelo@camara.gov.br;
dep.euniciooliveira@camara.gov.br;
dep.goretepereira@camara.gov.br;
dep.joselinhares@camara.gov.br;
dep.leoalcantara@camara.gov.br;
dep.marceloteixeira@camara.gov.br;
dep.maurobenevides@camara.gov.br;
dep.raimundogomesdematos@camara.gov.br;
dep.nazarenofonteles@camara.gov.br;
dep.osmarjunior@camara.gov.br; dep.paeslandim@camara.gov.br;
dep.carlosbrandao@camara.gov.br;
dep.cleberverde@camara.gov.br; dep.clovisfecury@camara.gov.br;
dep.juliaoamin@camara.gov.br;
dep.waldirmaranhao@camara.gov.br; joaoribeiro@senador.gov.br;
dep.osvaldoreis@camara.gov.br;
dep.vicentinhoalves@camara.gov.br;
dep.carlosalbertolereia@camara.gov.br;
dep.irisdearaujo@camara.gov.br; dep.joaocampos@camara.gov.br;
dep.jovairarantes@camara.gov.br;
dep.leandrovilela@camara.gov.br;
dep.leonardovilela@camara.gov.br;
dep.luizbittencourt@camara.gov.br;
dep.marcelomelo@camara.gov.br; dep.pedrochaves@camara.gov.vr
dep.pedrowilson@camara.gov.br;
dep.professoraraquelteixeira@camara.gov.br;
dep.rubensotoni@camara.gov.br; dep.sandesjunior@camara.gov.br;
dep.tatico@camara.gov.br; dep.jofranfrejat@camara.gov.br;
dep.osorioadriano@camara.gov.br; dep.rodovalho@camara.gov.br;
dep.antoniocarlosbiffi@camara.gov.br;
dep.antoniocruz@camara.gov.br; delcidio.amaral@senador.gov.br;
marisa.serrano@senadora.gov.br; dep.nelsontrad@camara.gov.br;
dep.elienelima@camara.gov.br;
dep.valternirpereira@camara.gov.br;
dep.asdrubalbentes@camara.gov.br;
dep.belmesquita@camara.gov.br; flexaribeiro@senador.gov.br;
dep.gersonperes@camara.gov.br; dep.nilsonpinto@camara.gov.br;
dep.paulorocha@camara.gov.br; dep.zegeraldo@camara.gov.br;
dep.zenaldocoutinho@camara.gov.br;
dep.zequinhamarinho@camara.gov.br;
dep.jurandiljuarez@camara.gov.br; papaleo@senador.gov.br;
dep.ediolopes@camara.gov.br;
dep.franciscorodrigues@camara.gov.br;
dep.mariahelena@camara.gov.br;
dep.henriqueafonso@camara.gov.br;
dep.nilsonmourao@camara.gov.br; tiao.viana@senador.gov.br;
expedito.junior@senador.gov.br;
dep.lindomargarcon@camara.gov.br;
dep.mauronazif@camara.gov.br; dep.natandonadon@camara.gov.br;

A fé sem obras não é verdadeira


Intervenção por ocasião do Ângelus

CASTEL GANDOLFO, domingo, 13 de setembro de 2009 (ZENIT.org).- Publicamos as palavras que Bento XVI dirigiu neste domingo por ocasião do Ângelus aos peregrinos congregados na residência pontifícia de Castel Gandolfo.

* * *

Queridos irmãos e irmãs:

Neste domingo, o vigésimo quarto do Tempo Comum, a Palavra de Deus nos interpela com duas perguntas cruciais que resumiremos assim: “Quem é Jesus de Nazaré para você?” e “Sua fé se traduz em obras ou não?”. A primeira pergunta encontramos no Evangelho do dia, quando Jesus pergunta a seus discípulos: “E vós, quem dizeis que eu sou?”(Marcos 8, 29). A resposta de Pedro é clara e imediata: “Tu és o Cristo”, ou seja, o Messias, o consagrado de Deus, enviado para salvar seu povo. Pedro e os demais apóstolos, portanto, diferentemente da maior parte das pessoas, crêem que Jesus não só é um grande mestre, ou um profeta, mas muito mais. Têm fé: crêem que nele Deus está presente e atua. Imediatamente depois desta profissão de fé, contudo, quando Jesus anuncia abertamente pela primeira vez que terá que sofrer e morrer, o próprio Pedro se opõe à perspectiva de sofrimento e morte. Então Jesus tem de repreendê-lo com vigor para dar-lhe a entender que não basta crer que Ele é Deus, mas que movidos pela caridade é necessário segui-lo por seu mesmo caminho, o da cruz (cf. Marcos 8, 31-33). Jesus não veio para ensinar-nos uma filosofia, mas para mostrar-nos um caminho, e mais, o caminho que leva à vida.

Este caminho é o amor, que é a expressão da verdadeira fé. Se alguém ama o próximo com coração puro e generoso, quer dizer que conhece verdadeiramente Deus. Se, pelo contrário, alguém diz que tem fé, mas não ama os irmãos, não é um verdadeiro crente. Deus não vive nele. São Tiago afirma claramente na segunda leitura da missa deste domingo: “se não está acompanhada de obras [a fé], está completamente morta” (Tiago 2, 17). Neste sentido, quero citar uma passagem de São João Crisóstomo, um dos grandes padres da Igreja, que o calendário litúrgico nos convida a recordar hoje. Ao comentar a passagem citada da Carta de São Tiago, escreve: “alguém pode ter uma reta fé no Pai e no filho, assim como no Espírito Santo, mas se não segue a reta via, sua fé não lhe servirá para a salvação. Portanto, quando se lê no Evangelho: ‘A vida eterna é que eles te conheçam a ti, o único verdadeiro Deus’ (João 17, 3), não pense que este versículo basta para salvar-nos: requer-se uma vida e um comportamento puríssimo (citado in J. A. Cramer, Catenae graecorum Patrum in N.T., vol. VIII: In Epist. Cath. et Apoc., Oxford 1844).

Queridos amigos, amanhã celebraremos a festa da Exaltação da Santa Cruz, e no dia seguinte Nossa Senhora das Dores. A Virgem Maria, que acreditou na palavra do Senhor, não perdeu sua fé em Deus quando viu seu Filho rejeitado, ultrajado e crucificado, mas permaneceu ao seu lado, sofrendo e orando, até o final. E viu a aurora radiante de sua Ressurreição. Aprendamos com Ela a testemunhar nossa fé com uma vida de humilde serviço, dispostos a pagar o preço necessário para permanecer fiéis ao Evangelho da caridade e da verdade, seguros de que não se perde nada do que fazemos.

RCC e a "maldição Hereditária"


Fonte: “Identidade Católica“.

ENQUANTO OS BISPOS DORMEM…PREVARICAM… A RCC E A CN CONTINUAM SE ALIMENTANDO DE ERVAS DANINHAS E INTOXICANDO OS FIÉIS COM O VENENO DA HERESIA

RCC E A CRENÇA PROTESTANTE DAS MALDIÇÕES HEREDITÁRIAS

 

É sabido que a crença herética das maldições hereditárias é uma das marcas da seita pentecostal Renascer em Cristo e de muita importância também na seita de Edir Macedo, a IURD (Cf. MARIANO, Ricardo. Neopentecostalismo: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil; São Paulo: Loyola; 1999, p.137).

Além de ser crença compartilhada por outras “igrejolas” neopentecostais, é compartilhada também por diversos grupos da RCC e alguns padres da Canção Nova. Aliás, a RCC e a CN compartilha com a heresia protestante diversos elementos heterodoxos(Batismo no Espírito Santo, Oração em Línguas, repouso no espírito, etc…). Aqui citaremos apenas afirmações sobre a crença nas maldições hereditárias. (E muitos ainda insistem em negar que RCC e CN são veículos da heresia protestante. Não há como negar)

 

A primeira referência desta crença na RCC foi no IX Cenáculo de Maria da RCC de São Sebastião – SP, em que a pregadora, vinda da diocese de Lorena (mesma diocese da Canção Nova), discursou: “Vamos orar para expulsar o espírito de pobreza, o espírito de Satanás, para tirar a maldição que colocaram na sua vida. Vamos todos orar: eu renuncio a toda depressão, a toda opressão maligna, vamos orar em línguas, eu rejeito toda miséria, eu rejeito toda maldição hereditária, toda feitiçaria, toda macumbaria (…)” (ALVES, Sônia Cantão; Testemunho dado no IX Cenáculo de Maria da RCC de São Sebastião, SP em 09/10/2005)

É possível encontrar toda uma oração dedicada à expulsão das maldições hereditárias maternais de autoria do Padre Marcelo Rossi. (Cf. REVISTA SALMOS E ANJOS, 2006) e o próprio Pe. Jonas Abib também afirma a existência das maldições hereditárias. (Cf. ABIB, Jonas. Sim, Sim! Não, Não! Cachoeira Paulista: Editora Canção Nova; 2005; 21ª ed)

Nos acampamentos de “cura e libertação” ainda se insiste nisso e ainda se confere “poder” à macumba ! (que mentalidade supersticiosa).

Vejam no link abaixo, a oração do Padre Manoel Sabino, Fundador da Comunidade Servos do Bom Pastor:

http://www.cancaonova.com/portal/canais/eventos/novoeventos/cobertura.php?cod=107&pre=345&tit=Para%20Deus%20nada%20%C3%A9%20imposs%C3%ADvel

e mais, pelo Padre Vagner Baia, aqui:

http://blog.cancaonova.com/padrevagnerbaia/2008/11/24/oracoes-para-libertaces-de-maldicoes/

E uma “missa de quebra de maldições”, aqui:

http://blog.cancaonova.com/cuiaba/archives/tag/padre-vagner-baia

e aqui:

http://blog.cancaonova.com/cuiaba/archives/4156

e logo no link abaixo, uma oração do Missionário da Comunidade Canção Nova, Márcio Mendes (marciomendes@cancaonova.com) formado em “teologia”, autor dos livros “Quando só Deus é a resposta” e “Vencendo aflições, alcançando milagres”.

Cito um trecho: “Senhor Jesus, peço que quebres todo julgo hereditário que pesa sobre mim, todas as maldições, taras, tendências para o mal… Que tudo o que me foi comunicado pelos meus antepassados seja tocado pelo Teu sangue redentor” confira aqui:

http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?id=&e=8311

 

 

 

Mulher italiana com enfermidade degenerativa poderia ser um novo milagre de Lourdes


Mulher italiana com enfermidade degenerativa poderia ser um novo milagre de Lourdes

ROMA, 27 Ago. 09 (ACI) .- Uma mulher italiana que há quatro anos luta contra uma agressiva e incurável doença degenerativa, deixou sua cadeira de rodas e recuperou a capacidade de caminhar depois de visitar o santuário Mariano de Lourdes no início deste mês.

O caso, que chamou a atenção da imprensa italiana, é protagonizado por Antonia Raco, que foi diagnosticada com esclerose lateral amiotrófica, também conhecido como o mal de Lou Gerihg, uma enfermidade que gera uma paralisia muscular progressiva e tem prognóstico mortal. Continue lendo »

Publicado em Nossa Senhora. Tags: . Leave a Comment »

Papa: nutrir-se do Pão da vida eterna


Palavras ao rezar o Angelus com os peregrinos neste domingo

CASTEL GANDOLFO, domingo, 16 de agosto de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI rezou o Angelus com os peregrinos ao meio-dia deste domingo, no pátio interno do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo. Estas foram as palavras do Papa na introdução da oração mariana.

* * * 

Queridos irmãos e irmãs! 

Ontem nós comemoramos a grande festa da Assunção de Maria ao Céu, e hoje lemos no Evangelho estas palavras de Jesus: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu” (Jo 6, 51). Não se pode ficar indiferente a esta correspondência, que gira em torno do símbolo do “céu”: Maria foi “assunta” ao local de que seu filho tinha “descido”. Evidentemente, esta linguagem, que é bíblica, expressa em termos figurados coisas que não entram completamente no mundo dos nossos conceitos e da nossa imaginação. Mas vamos parar um momento para refletir! Jesus se apresenta como o “pão vivo”, ou seja, alimento que contém a própria vida de Deus e é capaz de comunicá-la a quem d’Ele se alimenta, o verdadeiro nutrimento que dá a vida, nutre realmente em profundidade. Jesus diz: “Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo”. Bem, de quem o Filho de Deus tomou esta sua “carne”, a sua humanidade concreta e verdadeira? Da Virgem Maria. Deus recebeu d’Ela o corpo humano para entrar na nossa condição mortal. A sua vez, no fim da existência terrena, o corpo da Virgem foi assunto ao céu por Deus e entrou na condição celeste. É uma espécie de intercâmbio, no qual Deus tem sempre a plena iniciativa, mas, como vimos em outras ocasiões, tem também necessidade de Maria, do “sim” da criatura, da sua carne, da sua existência concreta, para preparar a matéria do seu sacrifício: o corpo e o sangue, a ser oferecido na Cruz como instrumento de vida eterna e, no sacramento da Eucaristia, como alimento e bebida espirituais. Continue lendo »

Bento XVI: Maria e o sacerdócio


Queridos irmãos e irmãs, 

é iminente a celebração da Solenidade da Assunção da Virgem Maria, no sábado, e nós estamos no contexto do Ano Sacerdotal; então eu gostaria de falar sobre a relação entre Maria e o sacerdócio. É uma relação profundamente enraizada no mistério da Encarnação.. Quando Deus decidiu tornar-se homem no seu Filho, ele precisava do “sim” de uma criatura livre. Deus não age contra nossa liberdade. E sucede uma coisa verdadeiramente extraordinária: Deus se faz dependente da liberdade, do “sim” de uma criatura, espera este “sim”. São Bernardo de Claraval, em uma de suas homilias, explicou de modo comovente este momento decisivo da história universal, onde o céu, a terra e o próprio Deus esperam a palavra desta criatura.

O “sim” de Maria é a porta através da qual Deus é capaz de entrar no mundo, fazer-se homem. Então Maria é verdadeira e profundamente envolvida no mistério da Encarnação, de nossa salvação. E a Encarnação, o fazer-se homem do Filho, foi concebida a partir da doação de si; o doar-se com muito amor na Cruz, para tornar-se pão para a vida do mundo. Assim, sacrifício, sacerdócio e a Encarnação caminham juntos, e Maria está no centro deste mistério. Continue lendo »

"Não há explicação científica" para o Manto de Virgem de Guadalupe, diz perito


Publico  a seguir um notícia da Agência ACI Digital. A Igreja ensina, a ciência comprova, e muitos negam a Mãe de Deus! Confiram:

“Não há explicação científica” para o Manto de Virgem de Guadalupe, diz perito

PHOENIX, 10 Ago. 09 (ACI) .- O Dr. Adolfo Orozco, perito investigador do Manto em que está gravada a imagem da Virgem de Guadalupe que aparecesse a São Juan Diego faz 478 anos, assinalou que o extraordinário estado de conservação desta relíquia sagrada “está completamente fora de todo tipo de explicação científica”.

Em sua conferência, que faz parte do Primeiro Congresso Internacional Mariano sobre a Virgem de Guadalupe que se celebra em Phoenix e que é organizado pelos Cavaleiros de Colombo, o perito explicou que “todos os tecidos similares a do Manto que foram colocadas em ambientes úmidos e salinos como o que rodeia a Basílica, não duraram mais de dez anos”.

Uma pintura que copia a imagem de Guadalupe feita em 1789 confirma este fato. “Esta imagem foi impressa com as melhores técnicas de seu tempo, a cópia era formosa e estava feita com um tecido bastante similar a do Manto original. Além disso, também estava protegida com um vidro desde que foi colocada ali”, indicou. Continue lendo »

"Discriminação" de cunho ideológico


ABIM – Agência Boa Imprensa
7 de Junho de 2009

“Discriminação” de cunho ideológico
Roger Vargas

A propósito de um artigo da “Folha de São Paulo”, de 27 abril, sobre a discriminação e as cotas para estudantes universitários, veio-me uma recordação saudosa da época em que não havia quotas raciais nas universidades…

Discriminação é um termo que significa apenas ato de distinguir, separar, apartar. Porém, a palavra discriminação, como é entendida hoje em dia, tomou um sentido acentuadamente ideológico.

Não muito tempo atrás, recordo-me que quando pedíamos — “Pode me dar uma  nota discriminada?” — isso significava tão somente classificar nela os produtos comprados.

Infelizmente, a significação da palavra mudou, e discriminação com sentido ideológico está atingindo, pouco a pouco, todos os setores da sociedade.. No ensino, ela encontrou seu caminho através do sistema de cotas que obriga, por lei, ser reservada uma quantia de vagas nas universidades a alunos considerados “discriminados”. Continue lendo »

Os Pais da Igreja também ensinam


O DOM DAS LÍNGUAS NÃO É BLÁ BLÁ BLÁ
O VERDADEIRO DOM DAS LÍNGUAS (TEXTO ATUALIZADO)

A virgem Santíssima e o dom das línguas
Questão IV: Se a Virgem recebeu o dom de línguas, chamado por alguns “glossolalia”.
a) “Afirmativamente, porque recebeu este dom com os apóstolos no dia dePentecostes, e, como disse Santo Alberto Magno: A Virgem estava com eles quando apareceram as línguas repartidas como de fogo, logo recebeu o dom das línguas com eles” (Mariale, q. CXVII); b) Ademais, ainda que não tivesse de ir pregar o Evangelho as diversas nações e gentes, todavia, no principio da Igreja nascente se concedia com freqüência este dom aos fiéis, ainda a aqueles a quem não se havia conferido o ministério de pregar e propagar o Evangelho como consta (At, XIX, 6); c) E assim convinha, porque acudindo Maria muitos fiéis de diversas nações, já por piedade filial, e que buscavam de instruções, devia conhecer seus idiomas para entendê-los e instruí-los plenamente nas coisas da fé. d) Finalmente, Suarez julga provável que ainda antes dePentecostes, Maria já tivesse usado desta graça, caso a necessidade ou a ocasião tivesse exigido, como quando Cristo foi adorado pelos magos, é de crer que Mariaentendeu a sua linguagem, como é também crível que, quando foi ao Egito, entendia e falava a língua dos egípcios. (In 3, disp. XX) – (ALASTRUEY, Gregório. Tratado de la Virgen Santíssima. Madrid: BAC, 1945, p. 350-351) Continue lendo »

Padre Fábio de Melo envergonha católicos


Fonte: Fidei Depositium

padre fábio de meloSe o padre Fábio de Melo se limitasse a cantar, teríamos dos males o menor. Infelizmente, com o passar dos dias, o que acontece é que ficamos cada vez mais horrorizados e até mesmo surpreendidos ao extremo ao ouvir as loucuras teológicas que o cantor bem asseado dispara com a sua voz mansa e aveludada nos meios de comunicação.

Rondam o absurdo algumas de suas declarações. No programa do Jô Soares que foi ao ar no dia 21 de maio de 2009, aos 10:45 minutos, o cantor teve a ousadia de afirmar que teve experiências sexuais antes de se tornar padre e, pior, chamou a isso de «amar completamente» e que «pra gente ser padre, é preciso ter amado na vida». Declara ainda que «é impossível fazer a opção de ser padre e viver o celibato sem ter amado alguém». O assunto dizia respeito às suas muitas experiências sexuais escondidas e, claramente, o padre entende isso como «experiências de ter amado alguém» Como se não bastasse ele completa, explicando que é preciso ter vivido a experiência (neste caso, o pecado contra a castidade!) para poder falar a respeito. Segundo o padre, ele não pode ser um «homem teórico», pois ele precisa falar de coisas que «ele experimentou na carne». Continue lendo »

Protestante questiona culto à Maria e acusa a Igreja de assasina de inocentes


Comentário Protestante:

 Uma vez, quando Jesus estava falando, uma mulher na multidão proclamou: “Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste” (Lucas 11:27). Nunca houve melhor oportunidade para Jesus declarar que Maria era verdadeiramente digna de louvor e adoração. Mas qual foi a resposta de Jesus? “Antes bem aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam” (Lucas 11:28). Para Jesus, a obediência à Palavra de Deus era MAIS IMPORTANTE do que ser a mulher que o pôs no mundo. Muitos já morreram por guerras religiosas, guerra que principalmente a Igreja Católica em sua caça as bruxas na santa inquisição matou muitos inocentes, então caros, nem Maria, José ou Sebastião… só Jesus morreu na cruz para nos salvar, maria meramente é nossa irmã em cristo e devemos respeito por isso, porém somente Jesus é o caminnho…

Resposta Olhar Católico: 

Prezado Marcelo, a paz de Jesus e o amor de Maria!

Meu caro, e quem mais guardou e ouviu a Palavra de Deus melhor do que a Mãe de Deus? Que outra criatura que já pisou esta Terra mais glorificou o Senhor, senão sua Mãe? Acaso você não lê a Bíblia? Estaria Nosso Senhor em contradição com a Escritura, pois no ventre de Sua Santa Mãe escutou Ela mesma dizer: “desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Lc1, 48b)? E pouco antes o Espírito Santo na boca de Santa Izabel, sua prima: “Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?” (Lc1, 43) ou ainda “bem-aventurada és tu que creste” (Lc1, 45a)? Ou será que você arrancou este trecho de sua Bíblia como fez Lutero com os outros, inclusive com a epístola de São Tiago? Continue lendo »

Sobre a falsa acusação de idolatria


Gostaria de pedir licença para escrever o seguinte para os caríssimos irmãos separados que aqui chegam:

Sobre a falsa acusação de idolatria:

1º erro dos protestantes: não sabem fazer a distinção entre veneração e idolatria.

Venero MARIA, a Quem amo muitíssimo, muito mais que a mim mesmo! VENERO, porque do meu coração par MARIA, vem a maior forma de respeito e amor que e posso ceder a um ser humano, que é criatura, portanto. Ajoelhar-se diante de Sua imagem é igualemnte venerá-la, pois eu o faço por respeito e amor que lhe são corretamente tributados, uma vez que Aquela Criatura é a própria MÃE de DEUS! Sua imagem a representa, e DEUS mesmo se alegra e muito com toda a homenagem feita à Ela, mesmo que seja ajoelhar-se diante de Sua imagem.

Se vocês procurarem na história de José vendido pelos irmãos aos egípcios, verão que seus irmãos se prostraram diante dele quando ainda não sabiam quem ele era. Eles se prostraram como a um ídolo? Certamente que não. Se prostraram por respeito e não por adoração. Continue lendo »

PSL Cedro

Deus acima de tudo e Cedro para todos!

FSSPX - Portugal

Tudo por amor a Jesus Cristo, Nosso Senhor.

O Legado d'O Andarilho

opiniões, considerações políticas e religiosas.

Roberta Acopiara's Blog

Just another WordPress.com weblog

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

Blog do Curso Técnico em Informática do IFCE - Campus Iguatu

pregarevangelho

Só mais um site WordPress.com

:.:Paródias da Professora Décia:.:

Paródias de uma professora cedrense!

Fratres in Unum.com

Ecce quam bonum et quam jucundum habitare fratres in unum.

Compartilhar é preciso.

Sinta-se livre para conhecer, aprender e compartilhar

§|Olhar Católico|§

Um Olhar Católico sobre o mundo!

Pacientes na tribulação

Apologética católica

Grupo S. Domingos de Gusmão

Fiéis Católicos de Maringá

Missa Tridentina em Brasília

Santa Missa no Rito Romano Tradicional

Vida, dom de Deus

Gratiam tuam, quaesumus, Domine, mentibus nostri infunde; ut qui, angelo nuntiante, Christi Filii tui encarnationem cognovimus, per Passionem eius et Crucem, ad Resurrectionis gloriam perducamur. Per eumdem Christum Dominum nostrum. Amen.

%d blogueiros gostam disto: